12/16/14

O canarinho está doente! Alguém pode ajudar?

Olá amigos dos canários!

Apareceu um canário à minha porta, na rua!Isto foi em Agosto. Agora ele tem uma doença nas patitas. Encolhe muito uma delas, a esquerda. Elas apresentam uns "crescimentos amarelados", aparentam estar secas e escamadas, até parece que estão deformadas. 

Eu vi muitas fotos de patas doentes na net mas não consigo concluir nada fruto da minha inexperiência. Penso poder ser ácaro ou sarna, mas não sei, e também não sei que tratamento aplicar.A gaiola é lavada com água corrente e sabão Clarim todas as semanas, tem grade. Isto será insuficiente? Ele come uma mistura de milhos e papa de ovos enriquecida com ácidos gordos (Versele - Laga, Gold Patee) e de vez em quando maça, também talos de couve e alface, raras vezes.

Para já eu vou colocar vinagre de cidra na água pois mal não vai fazer. Mas produtos químicos não vou arriscar sem alguém conhecedor me indicar um caminho seguro! Alguém sabe o que posso fazer? Obrigada!

12/7/14

O abacateiro está num jardim!













Há três coisas que um homem deveria fazer na sua vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro.” Frase atribuída ao poeta cubano José Martí.

Após dois anos de cuidados e mimos caseiros, o abacateiro encontrou o seu lugar num jardim! Agradecimento público ao meu vizinho que teve todo o trabalho de jardinagem, escolhendo um lugar abrigado para a jovem árvore estender as suas raízes pela terra dentro, crescer e talvez dar frutos, o que a suceder será dentro de cinco anos! Vou ter saudades de o ter na varanda! Mas é o pretexto para voltar a fazer uma refeição mexicana, preparar um guacamole e recomeçar o processo! 

Leiam esta postagem e vejam as fotos para saberem o resto da história!

12/6/14

Os benefícios da caminhada


Se têm seguido estas minhas postagens sobre caminhadas sabem que eu não comecei a caminhar para emagrecerNão posso dizer que tenha emagrecido muito a caminhar. Durante o verão talvez um quilo e meio. Li algures que caminhar 1 hora 3 vezes por semana pode queimar 240 calorias, o que dá para perder até 1 quilo por mês, mesmo sem dietas. É necessário percorrer cerca de 3 quilómetros em meia hora, os batimentos cardíacos devem situar-se entre os 70 e os 80% da frequência cardíaca máxima (FCM). Também li que para esse efeito, o ritmo da caminhada dever ser variado, ora mais lento ora mais rápido. Não sei se será mesmo assim, esse não é o meu objectivo principal. Se o objectivo da caminhada for emagrecer, terá de aprofundar na internet pois eu não o fiz e não tenho conhecimento melhor para partilhar! O que me levou a isso foi o facto de me sentir atrofiada e sem força muscular. Como não aprecio idas ao ginásio, optei pela caminhada. Pensei que podia começar por aí e que se me desse bem, mais tarde, podia fazer corrida.

Comecei em Junho de 2013, o verão correu bem, mas a partir de Novembro eu desmotivei-me e deixei de fazer as caminhadas. Só recomecei em Junho deste ano. Consegui mantê-las durante o verão, quase diárias mas mais curtas, e até agora só interrompi durante uma ou duas semanas em que choveu imenso. Com isto quero dizer que não foi fácil criar o hábito. Mas quando desistimos podemos sempre voltar a tentar!

Assim que comecei a ler sobre a caminhada descobri que ela é bem mais benéfica do que imaginava. Como já pude comprovar alguns dos seus efeitos, resolvi escrever sobre a minha experiência para incentivar os leitores do blogue a mexerem-se um pouco mais!(Assinalei com * o que já pude verificar.)

Quais são os benefícios da caminhada?

- Melhora a sua condição física geral*
- Fortalece a musculatura e ossos dos membros inferiores
- Reduz os níveis de ansiedade*
- Melhora a qualidade do sono*
- Ajuda no controle do peso*
- Contribui na manutenção e/ou aumento da densidade óssea
- Combate do mau colesterol
- Melhora a circulação sanguínea
- Ajuda a prevenir doenças do foro cardiovascular
- Melhora a capacidade do aparelho respiratório
- Ajuda a controlar diabetes e a hipertensão
- Ajuda a combater problemas articulares
- Contribui para melhor postura e equilíbrio*
- Ajuda a combater a depressão*
- Ajuda a estabilizar o humor em virtude da libertação de endorfinas*
- Ajuda a relaxar e a combater o stress*
- Favorece o contacto social
- Eleva a auto-estima e melhora a auto-imagem*

Por exemplo, hoje, sábado, percorri 8,20 km em cerca de duas horas. Não senti cansaço algum e podia até ter ido mais além. Mas não quero exagerar. Quando chego a casa tomo um duche e massajo as pernas dos pés até às coxas. Quando saio da casa de banho estou revigorada e pronta para trabalhar. Isto nem sempre foi assim, eu já tenho muitas horas de caminhada em cima. Devagar se vai ao longe! A próxima caminhada é segunda-feira.







Algumas regras para uma caminhada confortável e segura

- Aconselhar-se com o seu médico de família, conhecedor do seu historial de saúde, se não pratica nenhuma actividade física ou se tem alguma condição de saúde particular.
- Usar um calçado com bom amortecimento, capaz de reduzir o impacto do pé no solo. Não usar um calçado apertado pois o seu pé vai dilatar um pouco. Deve elevar o pé do chão e pisar com segurança, começando pelo calcanhar e terminando nos dedos.
- Usar roupa clara e leve, fresca no verão, quente no inverno.
- Usar roupa larga e absorvente. Roupa apertada pode dificultar a respiração ou movimentos.
- Usar meias finas de algodão para não fazer bolhas.
- Preferir percursos planos, - um terreno acidentado vai-lhe exigir maior esforço - sem muito tráfego por perto, - o que significará menor poluição - e bem iluminado - caso faça uma caminhada nocturna.
- Fazer alongamentos antes da caminhada, - em especial se ela tiver lugar de manhã - e no final da mesma.
- Começar a caminhar lentamente e depois acelerar; no final, desacelerar ao longo de 10-5 minutos para chegar a casa relaxado.
- Manter postura erecta, braços balançando alternadamente, acompanhando o ritmo da passada, o abdómen ligeiramente contraído.
- Centrar a cabeça nos ombros.
- Manter os olhos no horizonte, em linha recta.
- Manter os ombros relaxados, eles não devem ser inclinados nem para a frente nem para os lados
- Respirar corretamente, isto é, inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Se está a usar a boca é porque o seu ritmo talvez seja excessivo. Uma regra prática: deve ser capaz de manter uma conversa enquanto caminha.
- Estar atento a desconfortos tais como falta de ar, dores de cabeça, tonturas, dores musculares, que podem ser sinais de problemas a exigir atenção clínica
- Beber líquidos antes, durante e depois da caminhada.
- Preferir horários com menor incidência da luz solar (até às 10h ou após às 16h). Lembre-se de usar manga comprida, chapéu ou boné, óculos de sol e o protector solar.

A prática da caminhada é benéfica para pessoas de todas as idades. Leia este estudo sobre o impacto positivo da caminhada na vida do idoso
Atualmente, apesar da ampla divulgação sobre os benefícios da prática regular de atividade física, constata-se que uma grande parte da população ainda vive de forma sedentária. O sedentarismo está muito presente na sociedade, acentuando-se este fato principalmente aos indivíduos idosos, o que contribui significativamente para um envelhecimento menos saudável, com declínio na capacidade funcional, perda da autonomia e maior ocorrência de doenças crônico-degenerativas, doenças psicológicas, até invalidez e morte prematura.
Leia também sobre o  Desafio dos 10.000 passos e mexa-se!

O uso do podómetro na caminhada


Podómetro (ou pedómetro). É uma palavra recente no meu vocabulário, coisa com um anito e pouco. Até aí sabia que existia mas nunca me tinha passado pela cabeça usar um. Um amigo chamou-me a atenção para o uso mais indicado da palavra: podómetro. Espreitei nas Ciberdúvidas da Língua Portuguesa e realmente os entendidos votam em podómetro devido à etimologia da palavra:
- podómetro («do gr[ego] póus,podós, "pé" + métron, "medida"») 

- pedómetro («de pede- + -metro»); 

Qual seja a palavra escolhida estou a referir-me ao pequeno aparelho que uso na cintura para medir os quilómetros que faço durante as minhas caminhadas. Andar a pé é um exercício natural, com diversos benefícios para a saúde física e mental, pode ser feito a qualquer hora,- evitando períodos de muito frio ou de muito calor -  é económico. Basicamente é preciso um bom calçado, roupa normal, - chapéu, óculos de sol e protector solar são úteis também -  e uma garrafa de água para ajudar a manter a hidratação. Apesar de saber isso eu achei que não era incentivo suficiente. Então lembrei-me de usar um podómetro como forma de medir e incentivar a progressão através da superação das marcas obtidas. É fácil perder a noção daquilo que se caminhou, se muito, se pouco, façam o teste. Dependendo do lugar, - estrada urbana, estrada de campo, praia, circuito de manutenção - , se só ou acompanhado, a nossa percepção da caminhada é muito variável, restando-nos talvez cronometrar o tempo para ter uma ideia. Além disso o pequeno aparelho é um acessório divertido e ajudou-me a levar o exercício da caminhada mais a sério! 

O podómetro trazia um pequeno livro onde descrevia o Desafio dos 10.000 passos e eu comecei por medir os passos que dava. Mas comigo isso não funcionou bem. Sobretudo nos dias em que não caminhava ficava sempre bem longe dos 10.000 passos. Noutros dias esquecia-me de o colocar logo de manhã. Acabei a usá-lo só para medir as caminhadas! Gradualmente fui caminhando até mais longe mas por essa altura já me tinha habituado a fazer os registos de quilómetros percorridos e nunca mais pensei nos passos. O meu tempo livre também não permitia caminhadas superiores a 60 minutos. Todavia li que num estudo ficou provado que as pessoas dão mais passos se tiverem como objectivo os 10 mil passos por dia do que se lhes for prescrito uma caminhada de 30 minutos. Mas ainda assim este número pode não ser o ideal para todos, deve ser considerado uma referência. Por exemplo, crianças podem dar mais passos, os idosos e doentes crónicos, menos. Para mim o essencial foi começar e ir melhorando a minha marca. Alguma actividade é melhor do que nenhuma, não é verdade? Quando já estava motivada fui aumentado as minhas caminhadas de forma natural. No livro que acompanha o meu podómetro vem esta escala:

Indivíduo sedentário: 5000 passos
Indivíduo com actividade física reduzida: 5000 – 7500 passos
Indivíduo com actividade física aceitável: 7500 – 10000 passos
Indivíduo activo: 10000 – 12500 passos
Indivíduo muito activo: 12500 passos

Para que serve um podómetro?

Os podómetros servem para monitorizar a actividade física através da contagem dos passos, da distância percorrida e até do cálculo das calorias gastas.Com estes dados é possível concluir se uma pessoa é activa ou não e elaborar uma estratégia para incentivar a actividade física dos mais sedentários. Daí ser comum dizer-se que o uso de um podómetro ajuda a emagrecer: basicamente, se se mexer mais irá gastar mais calorias. 

Que tipos de podómetros existem?

Existem diferentes tipos de podómetros: os simples apenas registam o número de passos; os digitais indicam a distância percorrida e número de calorias queimadas. Alguns incluem ainda mais funções. A novidade mais recente são as app e outros instrumentos digitais que monitorizam toda a actividade física do indivíduo. Eis alguns exemplos:

- Um exemplo de podómetro
- App desportiva para  smartphones, o podómetro Accupedo ou o Runtastic Pedometer PRO 
- Um exemplo de pulseiras de fitness, capaz de aprender o seu nível de atividade e atribuir um objetivo diário personalizado. A pulseira indica passos, calorias, distância e monitoriza o sono. Pode ser emparelhado com um monitor de ritmo cardíaco para actividades de fitness e é até à prova de água...
- O podómetro que eu uso

Como se usa um podómetro?

O meu podómetro deve ser usado na cintura, preso no cinto das calças, - ele tem uma mola para isso mesmo - o mais junto ao corpo possível, de lado, por cima do osso ilíaco pois ele irá detetar os movimentos dos ossos da bacia e é assim que mede os passos. Para medir a actividade física ele deverá ser usado todo o dia, do acordar ao deitar. Outros podem ser usados no pulso ou pendurados ao pescoço.

Como funciona um podómetro?

O podómetro é um aparelho que faz uso dos princípios da inércia, aceleração, desaceleração e equilíbrio. Ele possui sensores que reconhecem o movimento dos passo, de forma mecânica, - através dum mecanismo de pêndulo e mola que mede o movimento vertical das ancas, - ou electrónico, que detecta o impacto de pé ao bater no chão.


Como utilizar o pedómetro para estabelecer objectivos?

1º Calibrar o pedómetro quando se usa da primeira vez - o manual que o acompanha ensina como se faz. Atenção: não use no banho, o podómetro não sabe nadar!
2º Medir o número de passos dados numa semana de actividade regular e fazer o seu registo diário. Deve usá-lo de manhã à noite. No final da semana dividir o total de passos dados por 7 para encontrar a média de passos.
3º A partir da segunda semana, estabelecer um mapa de objectivos, (por exemplo aumentar o número de passos diários para  X, ou a cada semana aumentar o nº de passos em X%), anotar o número de passos conseguidos e fazer a média.
4º Proceder de forma idêntica para as restantes semanas. Examinar o registo com regularidade para verificar o cumprimento de objectivos.

Se for uma pessoa sedentária não deve estabelecer objectivos grandiosos, vá aumentando a sua exigência devagar e dê tempo ao organismo para se adaptar à novidade. Pode estabelecer a meta dos 10.000 passos ou outra inferior. No estabelecimento dessa meta orientadora e dos objectivos seja ponderado. Lembre-se da regra SMART!

S pecific - objectivos específicos que dizem claramente o que há-de ser feito
M easurable  - objectivos que podem ser medidos, quantificados
A chievable  - objecttivos alcançaveis, nada de utopias!
R ealistic - objectivos realistas! Não é o seu amigo quem sabe o que é melhor para si. Conhecendo-se melhor do que ninguém deverá ser capaz de estabelecer objectivos que possa cumprir e manter. É importante que possa executar o seu plano.
T ime frame - objectivos realizados em tempo útil. Deve ponderar o factor tempo. Ex. Faz uma média de 5000 passos por dia. Resolveu que quer chegar aos 10.000 passos por dia. Mas, para cumprir e manter o plano, decide que vai fazer mais 10 passos todos os dias. Cedo irá desmotivar-se porque nunca mais atinge o seu objectivo principal: tornar-se mais activo.

Como aumentar o número de passos diários? Ora aí está uma boa questão!

1º Não vale fazer batota. Saiba que se usar o seu podómetro enquanto conduz muito provavelmente ele irá somar passos! Tome nota dos passos dados até entrar no seu automóvel. Conduza até ao destino, faça reset, e recomece a contagem. Ou faça melhor: deixe o carro à porta de casa e vá a pé.

2º Faça um diário de passos. Sem fazer o registo não vai tirar o melhor proveito do podómetro. O registo permite saber se está a progredir ou não, e também, se detalhar esse registo, saber onde é que pode aumentar a sua actividade. Confesso, eu não detalho nada - limito-me a anotar os quilómetros. Mas terá a sua piada saber quantos passos são da minha casa ao supermercado ou ao café ou até ao trabalho...!

3º Use os seus pés e a sua imaginação para dar mais um passito (e incentivar os outros a dá-lo também!)

- Liberte-se do seu automóvel para pequenas distâncias
- Estacione mais longe do seu local de trabalho
- Estacione mais longe das lojas onde quer ir fazer compras
- Estacione no parque mas longe da entrada para o centro comercial
- Passeie pelo centro comercial antes de entrar na loja escolhida
- Utilize as passadeiras rolantes dos centros comerciais para caminhar
- Saia do autocarro ou do metro antes do destino
- Utilize as escadas em vez do elevador
- Compre o jornal num quiosque e vá a outro lado jogar no Totoloto
- Prefira uma Caixa Multibanco mais distante se tem uma mesmo à sua porta
- Passeie mais (ou mais vezes) o seu cão! 
- Adopte um cão! (Apenas se tiver condições, evidentemente!)
- Caminhe pela casa enquanto usa o telemóvel
- Levante-se da secretária e estique as pernas de hora a hora indo até à varanda, ou até à rua!
- Se almoça fora de casa, no fim do almoço dê a volta ao quarteirão antes de regressar ao trabalho. Em breve os seus colegas vão querer ir consigo.
- O seu dia é demasiado ocupado? Quer caminhar de noite mas não se sente seguro? Promova uma caminhada nocturna colectiva. É mais seguro e mais divertido.
- Desafie os familiares para caminharem consigo
- Desafie um amigo para caminhar consigo em vez de marcarem encontro no café para meterem a conversa em dia. Tomem o café antes da caminhada...ou depois.
- Desafie os vizinhos para caminhar - façam um mapa colectivo e afixem no hall do prédio como forma de dar visibilidade ao vosso progresso, não é necessário que façam a caminhada em conjunto
- Tem uma empresa? Desafie os seus trabalhadores para caminhar, faça um mapa colectivo e afixe no placard
- Mais ideias? Deixe nos comentários!

E onde arranjar motivação para a caminhada? Saiba desde já que o seu corpo e a sua mente irão resistir à mudança!

A motivação pode ser variada. Cada um deve encontrar a sua. Ela vai alimentar a sua vontade de continuar a caminhar!

- Obtenção de benefícios ao nível da saúde. A caminhada é um exercício de baixa intensidade e não produz os mesmos benefícios da corrida ou de outras actividades mais duras. Mas é ideal para quem é sedentário. Para estas pessoas ela vai traduzir-se em melhor saúde e mais bem-estar geral, físico e mental. No meu caso, já me apercebi que a caminhada ajuda a estabilizar o meu humor, a dormir melhor e a perder peso. Também me deixa mais enérgica. 
- Criação de um momento de convívio saudável com família/amigos/colegas de trabalho (estes momentos não têm de ser diários, por exemplo, à segunda caminha com o amigo A, à quarta com B, no sábado com a família)
- Criação de um espaço de meditação e bem estar interior: se vive rodeado de gente e solicitações, aproveite este tempo para esvaziar a mente e prender-se ao momento presente, entregue-se a pensamentos agradáveis - é um exercício mental muito proveitoso e viciante!
- Criação de um Diário de passos - o registo vai ajudar a manter a progressão, além disso sem ele não saberá a quantas anda!
- Audição da sua música favorita - se gosta de caminhar sózinho pode juntar a música ao percurso. Isto comigo não funciona, gosto de me sentir ligada ao ambiente, ouvir o mar, o vento nas árvores, os pássaros, as pessoas, os automóveis a circular!
- Criação de um Registo fotográfico das caminhadas - costumo sempre fazer 3-5 fotos dos sítios por onde passo. Repare, nem que fotografe o céu todos os dias, no mesmo lugar, irá sempre obter uma foto diferente. É giro.


- A variedade é motivadora: crie diversos percursos, experimente horas diferentes, caminhe com diferentes pessoas
- Faça tudo por tudo para aguentar 21 dias! Dizem que é o mínimo de tempo que levamos a criar um novo hábito. Quando chegar a esse marco, celebre!
- Faça propaganda dos seus novos hábitos! Eu de vez em quando coloco no Facebook as fotos que faço e os respectivos quilómetros. Agora acho que podia ter criado uma página ou um blogue só para isso.
- Após 21 dias continue a somar até às 8 semanas. Ao fim de dois meses deverá notar diferenças significativas no seu organismo. Volte a celebrar! É importante! Compre uma nova camisola, um boné, um novo par de sapatilha! Recompense o seu esforço!
- Use o poder da visualização! Quer emagrecer? Imagine-se em forma! Projecte-se no futuro! Conhece alguém que caminha e que aparenta ser saudável da cabeça aos pés? Eleja essa pessoa como um modelo a seguir e diga para si mesmo: "dentro de 6 meses eu vou estar assim"!
- Mais ideias? Deixe nos comentários!


(Nota: como devem imaginar, eu não inventei o que aqui escrevi, esta postagem é fruto de muitas leituras que tenho feito sobre o assunto desde que comecei a caminhar! Um dos sites que podem consultar é o 10.000 Steps, aconselho, é australiano.) 



12/5/14

O saco de água quente perfeito!


Era uma vez uma botija de água quente pestilenta. Lembram-se desta história? Pois tenho a comunicar que a mesma feneceu. Esta semana o frio veio finalmente apoquentar-me e eu fui buscar o saco ao fundo do guarda-fatos. Já passava da uma da manhã e eu estava cansada, enregelada e a tombar para o lado com sono. O meu corpo ansiava pela minha caminha flanelada e um saco quentinho! A água aqueceu num instante. Mas assim que comecei a encher o saco ela caiu no chão com estardalhaço, parte atingiu a mão que segurava o saco levando-me a largá-lo de imediato! Os anos passam e não perdoam, estarei a ficar assim tão pitosga que tivesse falhado o gargalo da botija?!! Não. O saco estava roto! Soltei um riacho de asneiras e fui à varanda buscar o balde e a esfregona. Estava frio a valer! Meti o saco rosa pingão no balde e limpei bem o chão da cozinha. Retornei ao quarto desconsolada e bêbeda de sono, mas com menos frio pois limpar a casa é garantido que aquece! No dia seguinte retirei a saca exterior de tecido rosa para ver os estragos. A borracha nos topos do saco aparentava ter derretido, estava fina, parecia ter sido cortada a canivete! À hora do almoço dei um salto à farmácia e desta vez comprei um super saco Made in Germany. É da marca FASHY. Se forem comprar um saco de água quente eis o meu conselho: esqueçam os sacos comprados em supermercados, que foi onde eu comprei o meu. E, sobretudo, se forem pestilentos desconfiem logo que aquilo é gato por lebre. Este saco é de de um material azul, macio ao toque, maleável e não tem qualquer cheiro. Dizem que a duração provável do saco são cinco anos, a não ser que o seu uso seja muito intensivo. Se não estou em erro o saco pestilento comprado numa grande superfície - sim, sim, não foi na loja dos chineses - custou 5 euros. Este custou 8.50 euros! A marca apresenta alguns produtos diferenciados, por exemplo, este saco de água quente transparente que contém peixes cor de rosa que mudarão de cor caso a água esteja demasiado quente. Era apenas um pouco mais caro e pode ser uma escolha interessante se for destinado a ser usado por crianças ou pessoas debilitadas.

E esta possibilidade de personalização com fotografias a gosto? (Só disponível na Alemanha, não na minha farmácia, evidentemente!)


E uma capinha com moldura? (Vista no site.)


Eis um video rápido sobre os Fashy com alguns modelos e capas para as botijas de água quente. Eu vou fazer uma inspirada num modelito que vi aqui!


E mais um video sobre a vertente social da empresa que colabora com a WorldVision para melhorar a vida das crianças da Serra Leoa.

A caminhar é que a gente se entende


Um texto escrito em Agosto de 2013 e que se engasgou na postagem automática do Blogger! Encontrei-o ontem, nos rascunhos, entre outros sobre a caminhada, uso de podómetros e afins. Sim, é verdade, este ano estou bem mais motivada do que em 2013-após um verão de caminhadas não muito longas mas frequentes, o outono já quase lá vai e eu continuo a caminhar 3 vezes por semana, entre 3 e 8 km de cada vez! Parabéns a mim! Se não fosse uma conversa com uma amiga, ontem,  sobre as minhas caminhadas e os podómetros, este e outros textos sobre o assunto não veriam a luz do dia, ou do blogue, ou da internet! Aqui vai. (Depois publico os outros, são dicas sobre a caminhada, a motivação, seus benefícios, etc. Pode ser que inspirem alguém!)

"Há uns tempos escrevi toda entusiasmada sobre a guerra ao sedentarismo. Antes disso tinha escrito que emagrecer devia ser divertido. Estávamos no início do ano (2013), as resoluções de ano novo ainda deviam estar frescas e eu cheia de vontade de me fazer à estrada. Mas a vontade de caminhar, fazer jogging, marcha, o que quer que lhe queiram chamar, acabou depressinha. Foi uma vergonha. Equipei-me três vezes e pronto. Hibernei! Os meses passaram. Veio a Primavera, veio o Verão. Já vamos quase no final de Agosto. Está na altura de retomar o tema aqui no blogue. Ou por acaso achariam que eu tinha mandado o meu plano original às ortigas? Não andariam longe da verdade se por acaso eu não tivesse ido ao Porto no 10 de Junho. Essa ida ao Porto foi a gota de suor que faltava para despertar de uma vez a minha motivação. Como sabem a cidade do Porto não é exactamente plana. Além de ter andado pelas ruas, como habitual, desta vez tive de subir escadas por todo o lado, no estádio, no metro, no interior das casas. E custou-me muito. Além de saber que carrego peso a mais, também os músculos não pareciam querer trabalhar. Nessa noite tomei a decisão de retomar o plano de Fevereiro. E assim foi, de regresso à Figueira meti as pernas e os pés à obra! Mas em vez dos 15 minutos de marcha que fazia em Fevereiro aventurei-me a um esforço maior: nada mais nada menos do que 5km de marcha diários. São 80 minutos de marcha rápida. Sim, não vou exactamente a pisar ovos, para isso mais valia ficar em casa. Não acreditam? Verdade! A chave para o sucesso destas empresas está na motivação. E desta vez bastava lembrar-me dos meus dias no Porto para não desistir!
Vamos ao relato. Pode ser que consiga convencer os agarrados ao sofá com a minha experiência. Tenho de confessar, os primeiros 12 dias foram terríveis. O que foi mais difícil não foi fazer o exercício, foi o pós-exercício. É verão, há sol. Desde logo a luz e o calor são bons convites para sair de casa, é muito diferente do inverno. Mas quando chegava a casa as minhas pernas doíam imenso. Na primeira semana eu não consegui fazer isso diariamente. Fiz dia sim, dia não. Só na 12ª vez é que, à noite, quando me deitei, notei finalmente os meus músculos em paz, como se eu apenas tivesse atravessado a estrada para ir comprar o jornal ao quiosque! Portanto, o que custa é começar e não podemos começar à bruta. Como é que escolhi o percurso? De forma a sentir-me recompensada. Fiz o meu percurso Tavarede - Buarcos - Tavarede a horas diversas, procurando fugir ao calor. De manhã cedo e ao final da tarde. O objectivo era chegar à borda do mar, talvez molhar os pés ou dar um mergulho, e regressar. No inverno posso substituir por tomar um café em frente ao mar. Isto é como a cenoura que se baloiça à frente do burro, acreditem que ajuda estabelecer este pequeno incentivo. Pois os benefícios reais não são imediatos, temos de ir enganando a mente com estes truques!Desta vez não estou a caminhar no parque, estou a usar a estrada e os passeios.Procurei caminhar o mais longe possível do trânsito automóvel, para evitar respirar as emissões. Não que a Figueira seja uma cidade muito poluída, não é o Porto, mas às horas de saída e entrada na cidade, há algum trânsito. Tenho alguns metros de ruas para subir mas na maioria o terreno é plano. Quanto a equipamento, comprei umas sandálias com sola reforçada, em substituição das sapatilhas, mas posso dizer que foi uma péssima escolha. Eram confortáveis e não me fizeram bolhas, mas já estão prontas para ir para ir para o lixo. Nem 70km aguentaram! Ao fim de 15 dias de marcha comecei a notar mais energia diária, tendência para melhorar instintivamente a minha postura quer ao caminhar ou mesmo quando estou sentada. Outra coisa que notei foi ao nível da respiração, sobretudo à noite. Parece que respiro melhor e que a caixa toráxica se tornou maior!Quanto a perder peso, isso seria bem interessante, mas não estou a mudar os meus hábitos alimentares pelo que não sei se a esse nível irei ter muito sucesso. De qualquer forma só me voltarei a pesar em Outubro. Não sou daquelas pessoas que passam o tempo a fazer step na sua balança e a apontar as oscilações! O meu plano agora é continuar a fazer marcha até ao momento em que me sinta confiante para começar a correr. Mas ainda estou longe disso e pelo caminho tenho de me manter motivada e activa, isso já é uma pequena batalha a travar quando o outono vier e os dias se tornarem menos luminosos e mais frios. Se conseguir manter a marcha e os exercícios de alongamento até ao Natal já me considerarei uma sortuda. Se já pensaram em iniciar-se novamente na actividade física, a marcha é o ideal. Se pensam que não serão capazes, eu sou a prova de que serão, apenas terão de encontrar o vosso click!, a vossa motivação. Sem ela nem vale a pena fazer planos, poupem o dinheiro dos ténis, do fato-de-treino e tudo o mais. Lá para Dezembro voltarei ao tema, quem sabe não é este ano que peço ao Pai Natal umas sapatilhas à maneira!"

Ahah! É giro ler este texto agora. Quando o escrevi prometi voltar ao tema em Dezembro do ano passado. Mas, se bem me lembro, o ano passado por esta altura eu já tinha arrumado as botas! 

11/27/14

Mostra de cogumelos na Figueira da Foz - programa