8/28/10

11º Aniversário do Blogger - Meet up Blogger Fiesta!

O Blogger estás prestes a fazer 11 anos!
Está mais sábio e cheio de vontade de se divertir. Este ano vai haver um aniversário à escala global, uma celebração feita, é claro, pelos bloggers de todo o mundo. O Blogger marcou a data - 31 de Agosto. O pessoal organiza-se com a ajuda da aplicação Meetup Everywhere, marca hora e tudo o mais que lhe passar pela cabeça. Visite o Meetup para encontrar outros blogueiros na sua área geográfica e assim participar numa festa já criada ou então comece uma nova farra! Está na hora de dar a cara pelo seu blogue e nenhuma festa será pequena demais. Que tal aproveitar a ocasião para finalmente reunir com aqueles amigos com quem ainda só manteve contacto online e que há muito pensa conhecer? O Blogger fornece um pack via download para ajudar à festa: faça chapéus, etiquetas para nomes, imprima setas para que todos encontrem a festa, ou inspire-se e crie os seus próprios.

O que está no Convite?!

O quê: festa do 11º aniversário do Blogger!
Como: Registe-se num Meetup perto de si ou comece uma festa na sua cidade.
Onde: Em qualquer lugar onde estiver!
Quem: Todos! Nunca se sabe quem pode aparecer.
Quando: Terça-feira, 31 de Agosto de 2010, à hora que quiser!
RSVP: http://www.meetup.com/bloggerfiesta

Como funciona?!

Tudo que você precisa está no site Meetup BloggerFiesta.
Para encontrar uma festa perto de si, basta fazer uma busca rápida no mapa.
Para aderir a uma festa agendada, basta clicar no botão "Estou interessado."
Para iniciar uma nova festa, clique em agendar um Meetup!
O programa da festa é livre! Mas pode partilhar as suas ideias:

Faça um comentário na página do Facebook
Tweet no Twitter usando a hashtag # bloggerfiesta
Poste no Fórum
Tag fotos no Picasa Web Albums com bloggerfiesta
(Também pode consultar o post original, aqui.)

8/27/10

Cheias devastadoras no Paquistão: quem ajuda?


Ontem apanhei um flash noticioso na TV relativo às cheias no Paquistão. Desde que Hillary Clinton fez um apelo público por dinheiro para ajudar os milhões de paquistaneses afectados que a resposta, magra, tem aumentado. Mas não há paralelo com a resposta obtida para fazer face ao sismo do Haiti nem por parte dos cidadãos, nem por parte dos governos. Muito menos mortes a registar aqui, até ao momento, mas a dimensão da devastação ambiental e perda de meios de subsistência e abrigo de uma enorme massa populacional conformam também uma catástrofe. Pior é tratar-se de um país muito pouco querido da opinião pública mundial. Uma pesquisa pelas notícias disponíveis na internet permite saber que nem mesmo os países amigos do Paquistão, a Arábia Saudita, Dubai, terão mobilizado ajuda significativa. Além se ser vítima das condições climatéricas, pese embora a normalidade da existência de cheias de monção moderadas nesta época do ano, o Paquistão sofre agora em virtude da dificuldade de progressão no terreno e da ausência de uma coordenação eficaz. Por outro lado a corrupção tornou-se há muito a imagem de marca deste país e ninguém gosta de contribuir sabendo que a probabilidade do dinheiro não chegar ao destino,ou seja, a quem mesmo dele precisa, é elevada. O exemplo do terramoto de 2005 está ainda fresco na memória de todos. A reconstrução continua por fazer muito tempo depois de ter sido recebida a ajuda da comunidade internacional. Resta referir a fama do Paquistão como ninho de simpatizantes e militantes do terrorismo. Os Taliban já vieram dizer que as cheias são a punição de Deus pela aceitação de líderes seculares e fizeram juras de vingança contra a ajuda humanitária estrangeira, “inaceitável por ter no seu âmago outras intenções”, ou apelos ao seu boicote. Para sobreviver as populações têm sido forçadas a escolher entre líderes governamentais corruptos, sem visão, e extremistas religiosos, e perante as piores cheias dos últimos 80 anos anos, num país com péssima reputação internacional, estão a ser penalizadas por isso também, injustamente. Além da intervenção imediata para socorrer pessoas deslocadas e sem abrigo, malnutridas e doentes, o esforço de longo prazo para a reabilitação das infra-estruturas perdidas prevê-se gigantesco. Ajudou o Haiti? Vai ajudar o Paquistão? Veja um slide de fotografias no The Guardian:

8/26/10

Mulher tranca gata em caixote de lixo!


Uma mulher reuniu 130 gatos vadios no seu apartamento e cuida deles.

Outra mulher atirou um gato para um contentor de lixo e foi à sua vida.

Caminhamos indolentemente rua abaixo no regresso de mais um enfadonho dia de trabalho no banco atendendo clientes irritantes, exigentes e impertinentes. Eis quando topamos com um gato que se passeia provocadoramente no muro de uma casa. Passamos-lhe a mão e somos então subitamente assaltados pelo desejo de regredirmos à infância, tempo mágico quando prevaricar se punia com um breve puxão de orelhas e um pedido de desculpas em privado. Olhamos furtivamente em redor e assim como quem está a fazer a boa acção do dia, agarramos o gato pelo cachaço e colocamo-lo no caixote do lixo próximo. Depois continuamos a nossa marcha, donos de uma aparente normalidade anormal. Rimos risos abafados por dentro e durante 60 segundos sentimo-nos 30 anos mais jovens. Mas não previmos, no nosso abandono à brincadeira perversa, que na época da videovigilância haveria uma câmera dedicada de olho em nós. Agora o Big Brother soltou um brado internetário e a nossa cara acinzentada e estúpida está por todo o lado: no Facebook, no Youtube, nos blogues, nos links do Twitter. Somos tristemente famosos pelo mal feito. Criaram até um grupo no Facebook - Death to Mary Bale - que rapidamente se populou de seguidores, gente equiparando-se-nos no concurso de comportamentos irrefletidos e irracionais, uma moda dos tempos. Acossados como nos sentimos, já temos protecção policial. Em breve iremos responder na justiça britânica por crueldade. "Para quê tanto alarido, é apenas a porra de um gato." - dizemos com a máxima descontração. Lola, a gatinha de 4 anos, está bem, mesmo se passou 15 horas trancada num contentor de lixo. E agora somos nós que fomos apanhados mas no julgamento da opinião pública. Estamos perplexos, não entendemos. Queremos descanso, mas o ar pesa e as horas alongaram-se estranhamente.

8/21/10

Algarve: a praia da Rocha


Mais fotografias da praia da Rocha:

Extensa língua de areia protegida por falésias, a baía da praia da Rocha oferece óptimas condições para a prática de desportos náuticos, passeios de barco, e banhos de mar descontraídos para crianças, jovens e adultos, sendo curioso apreciar a peregrinação diária de banhistas carregados de insufláveis de todas as cores e formas. Se apreciam banhos de sol e jogos na areia, no vasto areal as areias são claras, finas e muito limpas. Os acessos fazem-se através de escadas por vezes um pouco cansativas e passadeiras de madeira. A acompanhar toda a praia existe um longo passadiço de madeira, pista ideal para uma marcha ou corrida matinal. "Três Ursos", "Rochas Furadas" e "Dois Irmãos" são alguns dos nomes com que foram baptizaram os rochedos que orlam a costa. As falésias elevadas estão sinalizadas com avisos sobre potencial desmoronamento mas não é por isso que os banhistas evitam dormitar à sua sombra. A Avenida Tomás Cabreira acompanha a linha da costa até à Fortaleza de Santa Catarina de Ribamar. Dali se avista, à nossa esquerda a bonita marina de Portimão e a pitoresca Ferragudo, com o seu castelo na margem do rio Arade; à direita avistamos toda a longa praia e suas estruturas de apoio. Naquela marginal são inúmeros os hotéis, bares, restaurantes, esplanadas e discotecas, além de lojas de venda dos habituais souvenirs e artigos de praia. Também existe um Casino. Não é, pois, surpresa que a praia registe intensa animação nocturna. Pequenos mini-mercados dispersos apoiam as nossas necessidades diárias, não sendo preciso voltar a pegar no carro após a chegada para ir a uma grande superfície, em Portimão, embora isso se faça rapidamente e através de bons acessos. Apesar da enorme afluência de banhistas, sendo uma praia extensa, conseguimos em pleno Agosto ainda encontrar o nosso espaço de diversão e de descanso! Aconselho! Vejam mais fotos no link acima.

8/19/10

Bookcrossing em Portimão com a ajuda da EMARP


Imaginem que estão de férias num local muito turístico e que de repente avistam um livro sobre uma espécie de poço no meio de uma fortaleza onde tinham acabado de entrar. Pensam decerto para convosco, olha, alguém esqueceu aqui um guia turístico, deixa lá ir ver. Foi o que sucedeu comigo. Aproximei-me mas vi logo que se tratava antes de um free book da rede Bookcrossing que eu já conhecia mas que nunca tinha experimentado. Eu gosto de ler, mas leio muito pouco, sobretudo comparativamente a tempos passados. De tal forma que fui para férias com apenas um livro:um manual de origami. Na minha adolescência e juventude a maioria dos livros que li não eram comprados, eram livros que requisitava na Biblioteca Pública Municipal da Figueira da Foz. O Bookcrossing não é mais do que uma enorme biblioteca a nível mundial onde todo o espaço público pode ser uma prateleira de livros. Podemos libertar ali um livro que já lemos e que não nos importamos de ceder a um desconhecido.Todavia antes convém proceder ao registo do livro na rede. Assim ficamos a saber por onde é que ele anda a viajar! Também podemos encontrar um livro algures se tivermos sorte, como eu tive! E, porque me fui inscrever na rede, descobri que existem Official Crossing Zones, ou seja, locais que recebem livros para posteriormente registarem e lançarem na rede de livre circulação, e onde também podemos apanhar livros de graça. Este livro foi libertado pela EMARP de Portimão que já libertou 1500 livros com a ajuda de clientes e funcionários. A EMARP - Empresa Municipal de Águas e Resíduos de Portimão, tem como objectivos a gestão e exploração dos sistemas públicos de captação e distribuição de água para consumo público, a recolha, tratamento e rejeição de efluentes, a recolha e depósito de resíduos sólidos urbanos e a higiene pública na área do Município de Portimão. Uma coisa que me impressionou muito positivamente em Portimão foi a limpeza da praia da Rocha. Eu gosto de uma praia limpa, gosto de me sentar na areia, e não sujo. Desde logo não levo nada para a praia pois não gosto de comer ali. Nem água levo pois nunca tenho sede. Mas se levasse teria cuidado em colocar a garrafa no caixote do lixo certo. Assim como teria cuidado se tivesse um cachorro e o levasse comigo. Os cães estão proibidos na praia da Rocha. Embora não concorde com a proibição confesso que não vejo alternativa. A última vez que fui à praia na Figueira, há duas semanas e meia atrás, bem no meio da passadeira que dá acesso à marginal, estavam meia dúzia de retorcidos presentes caninos. A proibião também vigora mas não é respeitada.Todos temos de fazer a nossa parte. Mas os responsáveis pela limpeza das areias da Figueira da Foz deviam aprender com Portimão. A equipa de limpeza da praia da Rocha começa a trabalhar às 4.30 e termina às 9.00 horas. E se até podem dizer que Portimão tem mais meios (terá?!) a verdade é que o número de pessoas que frequentam a praia da Rocha diariamente não se compara ao número que a Figueira da Foz recebe. Só mais um detalhe: em todos os caixotes de lixo estão mensagens de alerta sobre o depósito desregrado de lixos no meio ambiente. Denotam cuidado e querer agir. São frases simples, com sentido, que crianças, jovens e adultos lêem e que vão ficando na cabeça. "Amanhã poderá estar deitado no lixo que deitou na areia hoje." Água mole em pedra dura, já sabem como é. Pode parecer um detalhe insignificante mas nem sempre grandes meios publicitários fazem a diferença. Além destas funções a EMARP também desenvolve actividades de divulgação das artes plásticas e sensibilização para a protecção do meio ambiente, além de fomentar a leitura através do Bookcrossing. Quer saber mais sobre como ler um livro de forma gratuita? Veja em - http://www.bookcrossing-portugal.com/, este é o ponto de encontro onde se sabem as últimas notícias dos livros que foram deixados em liberdade, onde também são registados, pois todos os livros de bookcrossing devem ser registados, e onde se podem encontrar etiquetas grátis para download e identificação dos livros. Agora já sabe: se tiver um livrinho a mais que já só esteja a ocupar espaço não hesite em experimentar esta rede pois pode dar uma alegria inesperada a algum leitor!

8/7/10

Beggar's Chicken - A galinha do mendigo!

Ontem liguei ao acaso a televisão e estava a começar o segundo episódio de uma série - Ecoturismo, talvez seja o nome - que aborda conceito de sustentabilidade ao nível do turismo. Ecoturismo é procurar conhecer e explorar as culturas de forma comprometida com o meio ambiente. Como? Respeitando a integridade cultural e a diversidade biológica dos destinos e adoptando uma postura que salvaguarda os recursos naturais. O viajante apresentador é o conhecido futebolista Ethan Zohn. O moçoilo cumpre o roteiro de forma descontraída e bem humorada. São apenas 30 minutos, - desta vez foi sobre Kuala Lumpur - mas é tempo suficiente para aprender umas coisas e até sorrir. Apreciei especialmente um apontamento sobre um prato célebre da gastronomia local. De acordo com uma lenda o prato é originário de Hangzhou, na China. Um mendigo, não dispondo de uma panela para cozinhar, teria embrulhado uma galinha em folhas de lótus e barro, e enterrado o conjunto no chão, deixando um buraco e acendendo o lume por cima. Quando o fogo se apagou e as cinzas arrefeceram ele retirou a galinha cozinhada. Receita prática e muito natural: o barro mantém os sucos da galinha e a sua carne fica macia e tenra e o lótus aromatiza. O nosso futebolista foi a um restaurante - Jugra, Banting - que confecciona esta galinha e assistimos a todo o processo. Convém dizer que o prato tem de ser encomendado de véspera! Não falta clientela. O cozinheiro colocou dentro da galinha uma série de ervas e condimentos, entre eles gengibre, e virou as pernas da galinha para dentro. Depois embrulhou-a bem em papel e até atou com uma cordinha. No final Zohn envolveu o volume em argila e lá foi a galinha para o meio das cinzas quentes do forno de carvão umas quantas horas. No take seguinte Zohn está à mesa e trazem a galinha num típico carrinho das obras! Dão-lhe um martelo e ele parte a carapaça de argila. Está pronta a comer. Para o efeito ele deve apenas usar a mão direita pois essa é, de acordo com a cultura, a única que é pura, a esquerda é para esquecer. Deve retirar os pedaços de carne sem usar qualquer instrumento para cortar. Vejam aqui fotografias do restaurante e da preparação da galinha! Garanto que eu já estava com água na boca! E já não sei se antes da galinha, se depois, mostraram um extenso mangal e suculentas mangas, que o Zohn provou também...!

8/5/10

Ser despedido por causa do Facebook?!!

Acha que pode ir para a internet e escrever tudo o que lhe apetece sem consequências? Nem por isso especialmente se o fizer na wall da rede social Facebook e trabalhar para um empregador sensível. Já não é novidade mas é sempre bom lembrar um caso que aconteceu na Carolina do Norte em Maio passado. Uma empregada de mesa desencantada com a gorjeta que os clientes lhe deixaram resolveu ir desabafar para o Facebook. O casal que tinha atendido demorara três horas a despachar-se à mesa. A mocinha de 22 anos teve de ficar uma hora além do seu horário para apaparicar os clientes e, no fim de tanto empenho, o casal, forreta, apenas lhe deixou uns míseros 5 dólares. Daí serem apelidados de "cheap piece of shit camper(s).” Possivelmente o seu desconsolo justificava-se. Uma empregada de mesa numa pizzaria deve ganhar mal. Se o tal casal não tivesse alapado as três horas naquela mesa talvez ela tivesse conseguido mais uma gorjeta para equilibrar as contas. Nos EUA existe o hábito de dar uma percentagem sobre o valor da refeição. Ashley Johnson trabalhava então para a Brixx Pizza e, sem pensar muito, referiu o nome do restaurante na sua página. Uns dias depois a empresa chamou-a dizendo que ela tinha violado as regras de funcionamento da casa, regras com as quais ela se tinha comprometido quando assinou contrato, colocando o bom nome da Brixx Pizza em causa ao fazer um comentário que depreciava os clientes numa rede social! Os comentários no Facebook e Twitter sobre este episódio eram imensos depois de um jornal ter feito notícia do caso. Na sua maioria a pessoas eram de opinião que a empresa tinha tido uma atitude excessiva ao despedir a funcionária: teria praticado um abuso de poder. Tanto burburinho transformou-se em má publicidade para a marca. Mas, sobretudo, o que este caso veio colocar na mesa foi uma nova equação: como proteger uma marca sem parecer que se está a limitar a liberdade de expressão dos empregados? Pois! É que se estou a milhas do meu local de trabalho e se estou com os meus amigos eu tenho o direito de me expressar à vontade sobre os assuntos que considere pertinentes, o Facebook é a minha nova mesa de café!! Será? O bom senso parece exigir que não seja assim. As empresas querem já incluir na sua política empresarial notas sobre a forma como devem ser referidas nas redes sociais pelos seus funcionários, querem vigiar e tentar controlar o uso que se faz da marca que tanto trabalho deu a construir. Mas os seus funcionários não são sua propriedade! Cercear a sua esfera de liberdade tem de parar à porta da empresa. Mas, pelo sim pelo não é melhor para todos continuar a desabafar à moda antiga, face a face, ou pelo telemóvel, pois as empresas terão sempre acesso ao Facebook, ele é público a não ser que o nosso perfil seja privado, e ninguém está livre de num dia mais louco tecer um comentário impensado e por causa dele descobrir, umas luas depois, que foi parar ao olho da rua. Reparar essa situação pode demorar algum tempo, custar dinheiro e aborrecimentos. Valerá mesmo a pena em nome da liberdade de expressão arriscar? Pense-se também que o profissional que se expõe numa rede social ganha uma visão pública de si como um todo.Como tal, mesmo fora do serviço, ele será associado à empresa onde trabalha. Acresce que muitas redes possuem um campo sobre o cargo/função desempenhado que quase toda a gente preenche. O indivíduo torna-se público e é, ele mesmo, dono de uma identidade complexa que lhe deve inspirar tantos cuidados quanto a marca a uma empresa. A esfera privada diluíu-se e muitos ainda não têm essa consciência.
.
Um estudo feito nos EUA sobre o aumento de incidentes entre empresas/empregados provocados pelo que se envia por email, publica em blogues, nas redes, no Twitter, etc, aqui!

8/4/10

A ORIGEM - INCEPTION ENDING EXTENDED


Só para quem viu A origem - Inception e ficou a matutar no totem, girando, girando, no final, eis uma proposta para acabar com todas as dúvidas e rir!E já agora, acham que o totem ia continuar a girar ou ia cair?

Kieron Williamson: criança de 7 anos vende quadros como gente grande


Kieron Williamson foi uma criança cheia de energia, igual a muitas. Gostava de brincar na lama e de procurar bichinhos no jardim. Na escola foi um bom aluno, deixando os pais orgulhosos. A história podia acabar aqui. Mas ela ainda mal começou. Kieron é, ainda, e será durante muitos mais anos, uma criança. Mas é também um artista plástico de renome, uma criança prodígio, se lhe quiserem chamar assim. Em Maio de 2008, durante umas férias, viu uns barcos num porto. Pediu aos pais um bloco de desenho e pronto, nasceu um artista. Hoje, acrílicos, aguarelas e óleos já não são segredo para este artista de sete anos. Quais lápis de cera, quais recortes! Ele só quer materiais de gente grande! Em Agosto de 2009 a Galeria Picturecraft apresentou as suas pinturas pela primeira vez e foram todas compradas em 14 minutos, morre de inveja Picasso. Kieron divide o tempo entre o futebol, que adora, a consola de jogos e a escola, enfim, ele faz todas as coisas normais que outros meninos da sua idade fazem. Mas levanta-se muito cedo, seis horas antes de ir para a escola, para pintar, e aproveita todo o tempo possível para aprender mais sobre a sua arte com artistas crescidos da região de Norfolk, Inglaterra, onde ele vive. A notícia mais recente dá conta de que os quadros da sua última exposição foram vendidos por 180 mil euros em apenas meia hora! Coleccionadores de arte fizeram fila durante 48 horas na porta da galeria Picturecraft, na cidade de Holt, no último dia de Julho para conseguirem uma obra prima deste miúdo. Alguns vieram dos EUA, especialmente para o leilão.Para conhecerem um pouco mais sobre o fenómeno,o seu site fica aqui!Link para a Galeria aqui!

8/2/10

A 5ª temporada de Dexter!



Jeff Lindsay escreveu Darkly Dreaming Dexter. Já existem quatro livros, que eu saiba. A obra tem como figura central um técnico dos serviços médico-legais especialista em amostras de sangue, que trabalha para o Departamento de Polícia de Miami. Isso durante o dia porque pela calada da noite Dexter é um assassino em série que persegue e mata criminosos que a polícia não consegue prender ou que a justiça deixa de alguma forma escapar. Filho de uma informadora morta em circunstâncias grotescas, a criança Dexter foi adoptada pelo polícia Harry aos quatro anos, na realidade seu pai, que ao perceber a sua tendência homicida o educa num código que tem por finalidade mantê-lo são, vivo e longe da prisão: Dexter apenas deve caçar os assumidamente infractores da lei. Aparentemente um ser normal, Dexter não possui sentimentos, mas apesar disso é um profissional integrado e até conseguiu constituir uma família. Mas toda esta vida é apenas uma camuflagem que esconde a sua verdadeira natureza. Na quarta temporada, Dexter, até aqui tão meticuloso e perfeito na sua arte mortífera, comete o erro de se aproximar demais de um perigoso assassino em série - superiormente interpretado por John Lithgow, ex Dick Solomon da série cómica 3rd Rock from the Sun - em quem vê um rival à sua altura, e perde o controlo da situação. A 5ª temporada poderá muito bem ser a do "enterro" de Dexter a avaliar pela promoção que já circula na internet. Vamos esperar até Setembro para ver!

8/1/10

Do Japão a Portugal, a pé!

Masahito Yoshida tem 29 anos e partiu do Japão a 1 de Janeiro de 2009 e chegou a Poiares em fins de Julho. Dali seguia para Lisboa. Atravessou de ferry-boat até à China e desde então tem feito todo o percurso a pé. Entre Xangai e Portugal percorreu 15.600 quilómetros e passou por 20 países. Transporta consigo meia dúzia de haveres indispensáveis numa típica carroça oriental, uma tenda, um saco-cama, um fogão pequeno, porque cozinha todos os dias, algumas roupas e um computador. Ao peito uma máquina fotográfica. Tenho inveja deste homem. O máximo que percorri a pé foram cerca de 11km, desde o Castelo do Queijo até ao Bolhão, no Porto! Demorei três horas e meia! É pena que a notícia não explore um pouco mais a personalidade e motivação de Yoshida. Fica o espanto e a curiosidade em torno da sua figura aventureira!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...