3/30/16

Como fazer massa para pizza de forma rápida?



Hoje vou directa ao assunto. Ou talvez não. As pizzas entraram há muito na alimentação corrente e são coisa favorita entre os mais jovens. O meu sobrinho adora. Considera-se um especialista, tem opinião feita sobre o assunto e é difícil arranjar argumentos para o contrariar sobre o mérito da massa não sei quantas da Pizza Hut, a massa dourada, a massa alta e fofa, a massa fina e estaladiça, o queijo assim, o queijo assado. Eu fui algumas vezes à Pizza Hut com ele mas nunca achei que a pizza da Pizza Hut fosse a suprema delícia. Ironicamente, a pior pizza que jamais comi... comi-a em Itália, justamente na suposta nação berço da pizza! Digo supostamente porque a pizza não apareceu por geração espontânea em Itália: pensem nos pães árabes actuais e já conseguem conseguem fazer uma ideia. A sua história vem de longe, começou talvez quando os Egípcios inventaram o forno de cozer pão e o fermento; a receita foi-se aprimorando e viajando pelo mundo, desde o Extremo Oriente até Nápoles, onde  acaba por alcançar o formato que lhe deu a fama. O proveito, esse, é do mundo inteiro pois a pizza é dos pratos rápidos mais conhecidos, muito tendo contribuido a emigração italiana para esse resultado.

A pizza era inicialmente um alimento de pessoas humildes, a "picea" - a  palavra “pizza” vem do grego “picea”, pinheiro usado para aquecer fornos  - era um disco de massa  assada com ingredientes baratos por cima, ervas, alho e azeite, e vendida por vendedores ambulantes. Nesta altura a pizza era comida fechada, dobrada ao meio, em "calzone". Hoje também podemos comer a pizza neste formato em algumas pizzarias, também chamada pizza recheada.

A pizza Margherita tem na origem do nome uma história curiosa. Em 1889 dom Raffaele Espósito, um padeiro ao serviço do rei Umberto I e da rainha Margherita, decidiu homenagear a rainha e  inventou uma pizza com as cores da bandeira italiana -  branco, vermelho e verde. Para isso ele utilizou queijo mozzarela, tomate - trazido pelos conquistadores espanhóis da America para a Europa - e manjericão, produtos que ostentam aquelas cores. A pizza agradou tanto à raínha que acabou por receber o seu nome em homenagem. Não sei se é verdade ou não, mas é engraçado e fica sempre bem saber para contarem quando estiverem a trincar um Margherita com os amigos! E se forem a Nápoles, sempre podem espreitar a Antica Pizzeria Port’Alba,  fundada em 1830,  que se diz ser a mais antiga ainda em funcionamento. 

Diferentemente do meu sobrinho eu não cresci a comer pizzas. Lembro-me perfeitamente da primeira vez que comi pizza porque isso foi um acontecimento. Eram os anos 80, frequentava o Liceu, já não recordo em que ano, e tinha uma amiga cujos pais tinham estado emigrados na Alemanha. A mãe fazia pizza em casa com frequência e quando ela soube que eu era uma "analfapizza", fui de imediato convidada para um almoço. Quando passei a porta da entrada o cheiro característico já tinha tomado conta da casa. A pizza chegou à mesa num tabuleiro quadrado e para acompanhar havia uma saladeira redonda cheia de alface e cebola fatiada. Eu gostei daquilo mas não voltei a comer pizza tão cedo. Uns cinco anos depois começaram a abrir pizzarias por todo o lado.Nunca foi um dos meus pratos favoritos mas não digo que não a uma boa fatia de vez em quando! Eis como preparo a pizza em casa. É muito simples e rápido. Não é preciso comprar massas congeladas.

Receita da massa de pizza para uma base de 30 cm

280 gr de farinha de trigo sem fermento
100 ml de água morna (cerca de meio copo)
7 gr de fermento Royal (eu meto uma colher de chá cheia)
meia colher de chá de sal fino
2 colheres de sopa de azeite

Pré-aquecer o forno a 200º
Deitar todos os ingredientes numa tigela. Misturar com colher até os ingredientes se unirem. Depois amassar à mão em cima da bancada. Este processo demora apenas uns minutos, não sei dizer quantos. A massa fica uniforme e macia.
Formar uma bola com a massa. Untar o tabuleiro/bandeja de levar ao forno com azeite e esticar a massa a partir da bola colocada no centro. Eu começo por usar as mãos para a esticar e depois termino com o rolo. Colocar no forno a 200º durante 5 minutos. Retirar. Untar levemente com azeite e colocar o recheio da vossa preferência.

O recheio

Deitar polpa de tomate e espalhar de forma a cobrir a base da pizza. Polvilhar com oregãos e alho em pó. Juntar os cogumelos laminados bem escorridos, as metades de tomate  cherry e azeitona preta. Polvilhar com queijo ralado e colocar por cima as rodelas de salame. Vai ao forno a 180º-200º durante 15-20  minutos, o tempo depende de vários factores, é melhor ir espreitando para controlar se o queijo já derreteu e se a massa está dourada nas bordas.

N. B. Esta pizza foi aprovada pelo sobrinho!






No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...