5/21/15

Cadela abandonada em varanda é resgatada por equipa de obras em altura


A recentemente baptizada de Mia foi descoberta na varanda de uma casa habitada por um casal com uma filha, num prédio na Póvoa de Sta. Iria no dia 3 de Dezembro de 2014.

Estava presa e abandonada num espaço minúsculo, numa varanda aberta, nas traseiras do último andar do edifício. Não tinha água e a pouca comida que encontramos já tinha larvas... vivia no meio das suas próprias fezes e urina.

Estavam a ser feitas pequenas reparações no prédio quando um dos elementos da equipa desceu na fachada tardoz no final da manhã do dia 3.

A primeira impressão foi de que a casa estava desabitada e que alguém em tempos tinha tido ali um cão, pois não havia qualquer tipo de movimento ou
ruído na varanda.

O cheiro a fezes, putrefacção e urina era intenso...

Como não havia condições para se trabalhar ali, o elemento da equipa nem lá entrou e decidiu seguir logo para a varanda de baixo.

De relance foi visto a ponta de um minúsculo focinho a sair da caixa, que estava virada para a parede...

Foi retirada a palete de madeira que a mantinha fechada naquele espaço mas a cadela não se mexeu.

Só quando a caixa foi puxada para fora é que ela saiu.

O vídeo que colocámos a circular mostra os momentos seguintes...

Na impossibilidade de se retirar a cadela logo naquele momento, foi-lhe dada água e alguma comida. Não estava ninguém em casa mas foi descoberto o nome e o número de telef. da suposta dona.

Não houve resposta aos contactos efectuados e foi feita uma denúncia no Posto da PSP local. Dois agentes foram à procura da senhora mas sem sucesso.

Foi apresentada uma queixa telefónica na Sociedade Protectora dos Animais e no departamento da GNR que trata especificamente destes casos.

Após contactarmos inúmeras pessoas tanto no prédio como no comércio local, soubemos que a dita senhora só chegava a casa ao final do dia, isto apesar de estar desempregada.

Foi-lhe feita uma espera...

Quando finalmente a senhora abriu a porta, a cadela apareceu milagrosamente lavada...

Foi trazida para a Clínica Veterinária Dr. Galrão, na Amadora, onde ficou logo internada nessa noite.
Foi-lhe removido o enorme quisto que tinha na barriga e foi tratada contra a desidratação de que sofria. Tinha os membros inferiores atrofiados por ter estado tanto tempo fechada num local tão pequeno, quase sem se poder mexer.

Não sabia andar na rua de trela nem sequer subir escadas. Atirava-se a todos os cães que via.

Foi adoptada por todos os que trabalhavam na Clínica e pelos membros da Verticalium durante os 3 meses que lá ficou internada.

Logo depois arranjou uma dona que a adora e uma casa própria, onde ela merece estar e onde é tratada com muito amor e carinho.

O intuito de colocarmos esta história a circular não é para enaltecer o que foi feito, nem para recebermos umas palmadinhas nas costas mas sim para denunciar a barbaridade e a falta de humanidade de algumas pessoas, bem como a passividade de tantas outras que viram a cara só porque não estão para se chatear, ou porque simplesmente dizem - "Não tenho nada a ver com isso!"

Agradecemos a todas as pessoas envolvidas o final feliz que esta história teve, especialmente ao Dr. Carlos Galrão, pois sem ele nada disto teria sido possível.

Obrigado.


Texto integralmente retirado de https://www.facebook.com/verticalium.lda

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...