11/12/14

A missão Rosetta, o Philae e o cometa


Hoje assistimos a um feito inédito. Missão Rosetta está de parabéns. Completados 10 anos de viagem, Rosetta encontra-se a cerca de 500 milhões de quilómetros da Terra, entre a órbita de Júpiter e Marte. O robot Philae desprendeu-se dela  e pousou finalmente no núcleo do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Pousar num cometa é uma manobra difícil. Este cometa viaja pelo espaço a alta velocidade, a 135,000 km/h, tem 4km de diâmetro e movimento de rotação, expele gases e poeiras, a superfície é irregular.  Não havia grandes dados sobre ela. O cometa não apresentava dados de actividade no momento do rendez-vous. Eles são activados pelo sol. Os gases gelados tanto à superfície como sob ela são sublimados, passam do estado sólido ao gasoso, e arrastam partículas para o espaço circundante ao núcleo criando uma atmosfera(coma), é  isto que gera a cauda luminosa característica ao longo da sua órbita.


Fonte da imagem

A distância da Terra ao cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko é tão grande que uma informação enviada pela sonda demora quase meia hora para chegar ao controle da missão, nada do que vemos acontece "ao vivo". A satisfação e o entusiasmo ultrapassaram as fronteiras da Europa como facilmente se constata nas redes sociais e na internet em geral e todos aguardam pela chegada dos dados com curiosidade. Até o Google festeja!



Este cometa foi identificado em 1969, por Klim Churiumov e Svetlana Gerasimenko, no Observatório Alma-Ata, no Cazaquistão. Percorre uma elipse em torno do sol a cada 6,44 anos, que começa para lá de Júpiter e vem até um local entre Marte e a Terra. O "P" em 65P quer dizer que é um cometa do tipo  "short period" que descreve uma órbita precisa à volta do sol que demora menos de 200 anos a completar.É de assinalar e também saudar a cooperação de vários países num tempo em que as divisões entre estados se tornam cada vez mais notícia. 



Rosetta é uma sonda que carrega consigo 11 experiências científicas e um robot chamado Philae, com mais 10 instrumentos adicionais. Tem 2.8 x 2.1 x 2.0m e os painéis solares medem 14 m de comprimento. Med 32 metros de uma ponta à outra dos painéis. Pesa 3000 kg, carrega 1670 kg de combustível e o Philae pesa 100 kg. A missão tem por objectivo levar a cabo o estudo mais completo de um cometa até agora realizado. Custou 1.4 biliões de Euros, dos quais 220 milhões são o custo autónomo do Philae. Estes números cobrem 19 anos de missão e é o preço de um moderno submarino. É dinheiro público colocado ao serviço da exploração do desconhecido, que muitos contestarão, em tempo de crise e de austeridade europeia. Mas o avanço tecnológico a esta escala tem muitas vezes aplicações práticas no dia-a-dia, não se refletindo apenas no desbravar do conhecimento humano ou deste ramo particular da ciência.

Rosetta foi lançada para o espaço em 2004 a partir de Kourou, na Guiana Francesa. O seu nome vem da Pedra Roseta, um fragmento de pedra com inscrições encontrada num forte do rio Nilo, por militares de Napoleão, e que levou à decifragem dos hieroglifos egípcios há cerca de 200 anos. Na mesma ordem de ideias a esperança dos cientistas é que esta Rosetta moderna lhes permita descodificar o mistério da evolução do sistema solar. Também graças a um obelisco encontrado na ilha de Philae, no Nilo, Champollion, um linguista e egiptólogo francês, avança na compreensão dos hieróglifos. Já na década de 1960, os templos da ilha seriam transportados para a ilha de Agilkia, para prevenir a sua inundação mercê da construção da barragem de Assuão. Agilkia foi o nome dado ao lugar escolhido para a aterragem do módulo.

Os cometas são os objectos mais primitivos do sistema solar e por isso contêm informação sobre a sua origem. A sua composição química não muda muito desde a sua formação, contrariamente ao que sucede com os planetas, e por isso reflete como era o sistema solar há mais de 4600 milhões de anos. Também se espera que Rosetta permita descobrir se os cometas contribuíram para o princípio da vida na Terra. Eles carregam moléculas orgânicas complexas, devolvidas à Terra nos seus impactos, e poderão ter tido um papel importante no papel da formação dos oceanos e da atmosfera.

Rosetta é a primeira missão a ultrapassar a cintura de asteróides e a depender da energia solar para geração de energia em vez da tradicional que recorria a geradores termo radioisótopos. A nova tecnologia dos seus painéis solares gigantes permite que a sonda opere a 800 milhões de quilómetros do sol onde a luz solar se situa apenas ao nível de 4% daquela que se verifica na Terra. Nos primeiros dois dias e meio o Philae vai usar uma bateria, nos três meses seguintes as baterias de reserva serão carregadas a partir dos painéis solares, mas não se sabe se o Philae aguentará tanto tempo na superfície do cometa ou se os painéis não se cobrirão de pó, o que impedirá o seu carregamento.

Rosetta foi construída na Alemanha envolvendo contributos de 50 entidades de 14 países europeus, Estados Unidos e Canadá. Mais de 1000 pessoas estiveram envolvidas no projecto. O centro de operações da missão está situado em Darmstadt, na Alemanha. Em 1986 uma sonda europeia passou a 600km do cometa Halley



A canção do cometa - É o som do cometa a avançar pelo espaço, é produzido por oscilações no ambiente do seu campo magnético. O "canto do cometa" não é audível pelo ouvido humano em virtude da baixa frequência. A frequência do som foi aumentada 10.000 vezes para ser audível.




E, para o fim, um apontamento humorístico!

No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...