11/20/13

Ronaldo e a Pepsi = disPEPSIa.




disPEPSIa. Sai um Surströmming(peixe) e um tunnbröd(pão) para a janta. Caso não saibam o que é...é o tal peixe podre sueco. Seguramente que eu teria uma indigestão apenas de cheirar essa iguaria! Mas a indigestão lusa de ontem  não se ficou a dever ao peixe e antes a esta campanha da Pepsi, muito indigesta, em especial a última imagem. "Vamos passar por cima de Portugal".Essa é a legenda que acompanha o boneco de feltro. A imagem foi colocada a circular nas redes antes do jogo entre Portugal e Suécia, aquele que decidiu o apuramento da selecção Portuguesa para o Mundial que decorrerá em 2014 no Brasil. Portugal venceu a Suécia (3-2) e Ronaldo marcou os três golos. Nem a vitória fez acalmar os ânimos: viva a polémica!
Desde que as fotos começaram a circular no Facebook a página sueca da marca foi tomada de assalto pela indignação dos adeptos da selecção portuguesa e fãs de Cristiano Ronaldo, alguns decerto também consumidores do célebre líquido acastanhado concorrente da Coca-Cola. A dispepsia era o tom.

"Shame on you! Shame on you! You're a disrespectful and unprofessional brand and you did not manage to achieve anything positive at all with that ridiculous, non-humorous and offensive campaign. It serves you right that 10.6M people shutted you up tonight, and will stop drinking Pepsi. Oh, and as we say in Portugal: the fishes die by their mouth. I hope that easily translates as: when you speak too much, you'll eventually bite the hook and get caught. I'm sure you won't forget to tune your TVs to watch Portugal playing in Brazil.And by the way, don't forget to close the "Friends Stadium" cover."

Foi o Nuno Vilaça quem escreveu. Eu não o conheço, nunca o vi mais gordo. Dele apenas conheço um quadradinho, aquele que antecede a sua entrada triunfante na página da Pepsi no Facebook - neste momento este enxovalho à Pepsi já vale 754 Likes. Well done, man, well done. Mas isto foi somente um exemplo. A Pepsi sueca nem precisa de fazer os cálculos do tiro no pé, basta aproveitar os números presentes em alguns dos comentários e deitar as mãos à cabeça. 



A sucursal sueca deu-se mal com a história e até parece que levou um puxão de orelhas da multinacional americana. Apressaram-se  a pedir a clemência lusa. "We would never want to put the sport or the spirit of competition in a negative light. We regret if people were offended by the posts; they were immediately taken down. We would like to extend our apologies to all concerned." - E pronto. Um pedido de desculpas escorreito e limpo. "Nunca quisemos dar ao desporto ou ao espírito de competição uma conotação negativa. Pedimos desculpa a todos aqueles que se sentiram ofendidos."  Mais. Até responderam a comentários individualmente - ó gente, só os suecos. "Dear Luis, we understand your anger and frustration and we regret that we offended you and many others with the posts; this was never the intention and also the reason why they were taken down immediately. We never wanted to put anyone in a negative light.Our apologies goes out to everyone involved, Cristiano Ronaldo, the Portuguese football team and their fans."

Pronto. Foi bonito.  Os totós que andaram a brincar aos criativos pediram desculpa. Nós até ganhámos o jogo.Vamos todos em paz e que Cristiano Ronaldo nos acompanhe até ao Brasil?! Não, nada disso. Mas qual paz?! Quando tocam nas nossas bolas a malta fica como que intoxicada até ao mais profundo de si e enquanto não espirra tudo quanto lhe vai na tripa, não se cala. A esta hora continuamos a dissecar o episódio, a justificar a sua indecência, a extrair consequências e a gritar que é tarde demais para pedir desculpa. Tarde demais? Ó pás, sejam educados, aceitem lá o pedido de desculpas dos suecos com um sorriso grande e vão à vossa vida. O quê?! Não. Nada disso. Nós pimba, nós pimba. Ora zumba na caneca, ora na caneca zumba. Irra! 

Que ninguém toque num pintelho do Cristiano Ronaldo que nós soltamos os canhões! E é isto Portugal e o fervor nacionalista! Gostamos tanto do pedaço nestas horas. Nas outras, se pudéssemos apanhávamos o primeiro avião para a Suécia, lá é que a vida é boa, excluindo o frio horrível e as poucas horas de luz - eu morreria na Suécia ainda antes de receber o meu primeiro vencimento de emigrada bem sucedida! Este fervor nacionalista, exaltado, bem temperado de palavreado colorido,- porque ninguém consegue expressar melhor a indignação do que recorrendo a uma resma de alhos e folhas, - é algo que parece apenas ser inflamado pela bola. O futebol, mais prosaicamente conhecido como "a bola", mas não prementes questões de interesse nacional como a travagem do empobrecimento de todos nós, a defesa do emprego com direitos, da justiça, do combate à corrupção, à desigualdade, etc, etc, parece ser o catalisador absoluto da movimentação das massas. Tanto motivo para inflamar estes escribas das redes sociais e nada. Os dedos não mexem. Mas se for a bola, ele é meninos e meninas, senhoras e senhores, ricos e pobres, analfabetos e ilustrados...Também nunca ouvi comentadores a esganiçarem-se desta maneira contra a sangria migratória em curso ou o progressivo atrofiamento da nossa economia!Ouçam-nos, ouçam-nos:


O que eu me ri a ouvir estes comentadores frenéticos. Parecem-me meio tolinhos, obviamente, mas que sabem dar espectáculo, sabem.  E é isso que é o futebol. Espectáculo. Todavia, da maneira como as coisas estão até parece que o Ronaldo é o Maomé ou Cristo. Aliás, façamos um teste. Metam umas fotos ofensivas a estes dois vultos da cultura mundial no Facebook e vamos ver até onde cresce a indignação. Futebol 1- Religiões 0.  

Eu devo andar com o meu sentido de humor meio desvirtuado. Já me tinha rido com um anúncio de uma marca norte-americana onde um grupo de cavalheiros abanam o rabiote ao som de uma canção natalícia. O rabiote e as bolas. Mais uma vez a pedra de toque da indignação do povo são as bolas! Começo a pensar que as bolas são poderosas, um assunto intocável, diria mesmo sagrado. Pelos Estados Unidos é um coro de humilhados e ofendidos que já deve ter chegados aos céus. E eu? Vi o anúncio Show your Joe, e...ri-me! Achei que era maroto. Mas apenas na dose certa. Viva a igualdade de género. Finalmente meteram os homens a dar uso aos seus atributos e não apenas as mulheres! Os norte-americanos ou são muito púdicos ou não têm sentido de humor, dirão vocês. Pois agora nós estamos no mesmo caminho, digo eu. A continuar assim, com esta austeridade e sem sentido de humor, seremos o povo mais cinzento da Europa em poucos anos! Destronaremos os belgas. (Que para mim são o povo mais cinzento da Europa.) Para onde foi o nosso sentido de humor? Emigrou também? Eu vi a imagem do boneco no carril e apenas pensei, ah, suecos dum raio, passarem-nos por cima? Vocês vão é descarrilar. E virei a página. Não fiquei ofendida, nem tão pouco perdi mais tempo com o boneco. E agora que o jogo aconteceu e que até vencemos...ainda acho mais piada à campanha. On your face. Mas lá está. Eu não gosto assim tanto de futebol. Não gosto de Pepsi. Também não bebo Coca-Cola. Não me envergonho de dizer que não vou em xaropadas. Eu prefiro vinho. E gosto de me rir. Rir é mesmo muito saudável, é o melhor remédio.

1 comment:

Marta Gonçalves said...

Só é pena é que as pessoas não defendam com o mesmo "fervor nacionalista" outros assuntos bem mais importantes deste país. Agora quando se mexe com a selecção nacional de futebol está tudo estragado... Assim vai Portugal.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...