8/10/13

Mergulho de apneia no Dean's Blue Hole

Andava eu pelo Youtube quando deparei com a Tarja, uma cantora, letrista e compositora finlandesa com formação no canto clássico, mas sobretudo famosa por ter pertencido ao grupo de rock sinfónico Nightwish entre 1996 e 2005. Eu nunca fui grande metaleira, entre o metal e a ópera até prefiro a ópera. Pelo que pude ouvir no Youtube creio que esta senhora tem semelhanças com bandas como Evanescence. Eu nunca repararia nela se não fosse este video Until my last breath -  onde o campeão mundial de apneia profunda Guillaume Nery mergulha no vazio. O video foi filmado por Julie Gautier, também em apneia, penso que seja a sua companheira, que se define como modelo e  performer submarina no seu blogue, e que detém o record de mergulho em apneia na França.


Encontrei depois o video original de Guillaume. Desta vez a música chama-se You make me feel dos Archive. Guillaume claramente diz que este video é uma ficção e um projecto artístico. Ou seja, é provável que ele não tenha ido mesmo até ao fundinho do Dean's Blue Hole, são mais de 200 metros, mas que tenha usado a sua entrada e o fundo de outro buraco. Depois a filmagem foi editada. Independentemente disso, o mérito mantém-se,  o resultado é fascinante. O mergulhador desafia os limites do seu próprio corpo, no seio da inóspita Natureza. Observem a sua queda e deixem-se envolver pela beleza, terror e poesia do momento. 
Este homem cresceu nas margens do Mediterrâneo e mergulhava com o pai. Aos 14 anos ficou fascinado com o mergulho em apneia. Tornou-se o verdadeiro homem da Atlântida. Acabei de me lembrar do João Garcia. Também ele se basta a si mesmo quanto a oxigénio ao subir aos picos mais altos do mundo. Estão bem um para o outro! Um arrisca a vida para ir mais alto, outro, mais fundo. São raros. E loucos. Quem é que em seu perfeito juízo, estando no belo arquipélago das Bahamas, junto a praias de águas cristalinas e verde esmeralda, sob o abraço caloroso do sol, vai trocar este esplendor por águas geladas e escuras, tortura física e desnorte mental, atirando-se para uma autêntica garganta do fundo do mar, este tal buraco azul do Dean?! Os locais não se aproximam do buraco, dizem que é uma coisa demoníaca. Eles lá devem saber, vivem por ali desde sempre!


Quem achou interesse a este video talvez queira ver o programa americano 60 minutos dedicado ao mergulho em apneia. O mergulho livre é um desporto radical e ainda experimental. Alguns dos feitos a este nível têm levado os médicos a repensar a fisiologia humana. Depois de ter visto o programa 60 minutos facilmente se conclui que os seus praticantes são autênticos viciados na prática do mergulho em apneia mais até do que apaixonados pela modalidade. Como em qualquer desporto a mente tem um papel fundamental e não apenas a parte física do indivíduo. Imagino que estes mergulhadores sejam pessoas com muita capacidade de concentração, auto-controlo e serenidade. De que outra forma se  aventurariam mar adentro, usando apenas braços e pernas para se impulsionarem, querendo ser mais animais - sim, eu sei, o homem também é um animal - do que homens até? 

Se ainda não estão suficientemente impressionados, podem ler mais sobre as respostas desencadeadas pelo organismo durante o mergulho em apneia. É o relato da atleta Tanya Streeter, mergulhadora que aparece nos 60 minutos, que fui encontrar um site brasileiro. Além da actividade de mergulho livre de competição, Tanya também é conhecida como apresentadora de documentários de aventura sobre animais selvagens,(Freediver, Dive Galapagos e Shark Therapy).Ela começou a praticar mergulho em apneia aos 25 anos. Não sei como é que alguém pode gostar de sentir os pulmões serem apertados pela pressão até terem o tamanho de um punho, suportar dores agudas nos ouvidos e mais desconfortos, enfrentar o risco de narcose - também chamada embriaguês das profundezas, que acontece quando o nitrogénio, até então inerte no organismo, se dissolve no corpo - e outras sérias ameaças. Existe uma lei para medir este estado, a Lei de Martini. Da euforia às alucinações, da dormência das extremidades, raciocínio lento e perda de visão periférica, os mergulhadores experimentam uma série de manifestações que podem ser fatais  ao fazê-los perder a noção da realidade. Isto tem a ver com a profundidade a que se encontra o mergulhador e então, por cada 15 metros é como se ele tivesse ingerido uma taça de Martini! É o preço a pagar para se ser uma auntêntica sereia!

No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...