8/14/13

Janelle Monae foi uma Electric Lady na Zambujeira



Verão. Tempo de festivais de música por todo o lado, Coachella, Pitchfork...Sudoeste!! Eu não me sinto atraída por festivais de verão e quando leio que milhares de jovens encheram o recinto deste ou daquele festival ponho-me logo a torcer o nariz. No verão é tudo medido em mares de gente mas eu tenho medo de me afogar na multidão, não nado nada bem neste conceito! Festivais de verão vivem do exagero dos números: muitos nomes em cartaz, uns com letra grande, outros com letra menor, outros quase invisíveis. Muita gente a circular, muito lixo produzido por certame, muita cerveja a entrar, muita urina a sair, muito de tudo. Há que admitir, já não sou jovem, pelo menos de acordo com o BI, formulários e estatísticas, talvez não seja mesmo público-alvo dos festivais de verão. Por causa dessa minha aversão já perdi a actuação da Janelle Monae várias vezes. Esteve no Sudoeste em 2011. Mas, lá está, eu já nessa data não era muito jovem. Ela é que é jovem dos pés à cabeça, não tem aversão a banhos de multidão, que merece, sem dúvida,  e parece gostar de Portugal, pois por cá canta, dança e pinta a manta. Antes disso tinha actuado em Lisboa, no Super Bock Super Stock, Festival que não é um festival de verão e que até tinha uns concertos em salas, justamente o que eu mais gosto. Mas falhei.
(Quem esteve no Sudoeste)

Tudo isto a propósito de um telefonema do Zé. O Zé estava ou esteve no Festival da Zambujeira do Mar ou Festival do Sudoeste, lá na Herdade da Casa Branca.  Eu não gosto muito de telemóveis e o telemovel que uso é uma velharia tal que a maior parte das vezes quando recebe chamadas, pimba, desliga-se! A bateria deve estar arruinada se não for isso é outra coisa qualquer. Costumo ter o 91 desligado muitas vezes, mas uso quando vou para a praia, para saber as horas e ligar para o 112 se alguém se estiver a afogar. Brinco, mas a única vez que vi alguém na eminência de ser engolido pelo mar nem telemóvel tinha para chamar socorro e como nado que nem um prego senti-me verdadeiramente impotente! Pois é, tenho de comprar um telemóvel desses bem espertos, mas isso é quando tiver uns trocos extra. Por acaso há um que até me piscou o olho, um tal Samsung Galaxy Note 2, pois dá para fazermos uns desenhos bem giros, dava jeito. 

Fiquei a saber que tenho amigos com sorte, ele tinha ganho um passe - que custa quase 100 euros - para ver aquilo de fio a pavio. Pois eu nem assim, nem paga - a não ser que muito bem -, nem mesmo levada de helicóptero ou pelos ares nos braços do Homem-de-Ferro até à tal Herdade da Casa Branca. Curtam lá os não sei quantos palcos, o campismo, a erva, chamem pela Elsa, Oh Elsaaaa, onde estás, as ondas. Não há nada como ter amigos sintonizados na mesma onda que nós. O Zé ligou-me para me dizer maravilhas do concerto da Janelle. É claro que ao fim de uns segundos a chamada caiu e ele voltou a ligar e voltou a ligar. Acabámos a trocar mensagens e foi assim que soube que a moça foi demais, que cantou tudo e mais alguma coisa, do The ArcAndroid, do novo CD que aí vem, há que tempos que estou à espera, e até canções de Prince. É claro que o Zé foi um querido mas eu não estaria a escrever isto se numa das SMS ele não tivesse escrito, "tinhas razão, ela é mto boa". Eu não aprecio muito vocalistas femininas mas a Janelle é uma das recentes excepções. A princesa do R and B, arraçada de James Brown e cruzada de robot andróide, é um portento. Com a Janelle Monae "the only way is up", como cantava a loura Yazz, nos longínquos anos 80. Exuberante, enérgica, cheia de personalidade, uma verdadeira estrela. E eu aqui, roída de inveja do Zé. Mas já não sou jovem. Paciência. Eu continuarei à espera que a festivaleira Janelle se decida a vir dar o seu enérgico show numa sala. E da próxima vez não falho.

Girl, this is crazine
Let me tell you


[Verse 1: Janelle Monae]
I can't believe all of the things they say about me
Walk in the room they throwing shade left to right
They be like, "Ooh, she serving face"
And I just tell 'em cut me up and get down
They call us dirty 'cuz we break all your rules down
And we just came to act a fool, is that all right?
(Girl, that's alright)
They be like, "Ooh, let them eat cake."
But we eat wings and throw them bones on the ground

[Pre-Chorus]
Am I a freak for dancing around?
Am I a freak for getting down?
I'm coming up, don't cut me down
Yeah I wanna be, wanna be

[Verse 2]
Is it peculiar that she twerk in the mirror?
And am I weird to dance alone late at night?
And is it true we're all insane?
And I just tell 'em, "No we ain't" and get down

I heard this life is just a play with no rehearsal
I wonder will this be my final act tonight
And tell me what's the price of fame?
Am I a sinner with my skirt on the ground?

[Hook]
Am I a freak for dancing around?
Am I a freak for getting down?
I'm coming up, don't cut me down
Yeah I wanna be

[Verse 3]
Hey brother can you save my soul from the devil?
Say is it weird to like the way she wear her tights?
And is it rude to wear my shades?
Am I a freak because I love watching Mary? (Maybe)

Hey sister am I good enough for your heaven?
Say will your God accept me in my black and white?
Will he approve the way I'm made?
Or should I reprogram the programming and get down?

[Hook]

[Spoken Word]
Even if it makes others uncomfortable
I wanna love who I am
Even if it makes other uncomfortable
I will love who I am

[Breakdown: Erykah Badu]
Dance 'til the break of dawn
Don't mean a thing, so duh
I can't take it no more
Baby, we in tuxedo groove
Monae and E. Badu
Crazy in the black and white
We got the drums so tight
Baby, here comes the freedom song
Too strong we moving on
Baby there's melody
Show you another way
This joints for fight unknown
Come home and sing your song
But you gotta testify
Because the booty don't lie

No, no, the booty don't lie
Oh no, the booty don't lie

[Verse 4: Janelle Monae]
Yeah
Yeah, let's flip it
I don't think they understand what I'm trying to say

I asked a question like this
"Are we a lost generation of our people?
Add us to equations but they'll never make us equal.
She who writes the movie owns the script and the sequel.
So why ain't the stealing of my rights made illegal?
They keep us underground working hard for the greedy,
But when it's time pay they turn around and call us needy.
My crown too heavy like the Queen Nefertiti
Gimme back my pyramid, I'm trying to free Kansas City.

Mixing masterminds like your name Bernie Grundman.
Well I'm gonna keep leading like a young Harriet Tubman
You can take my wings but I'm still goin' fly
And even when you edit me the booty don't lie
Yeah, keep singing and I'mma keep writing songs
I'm tired of Marvin asking me, "What's Going On?
March to the streets 'cuz I'm willing and I'm able
Categorize me, I defy every label
And while you're selling dope, we're gonna keep selling hope
We rising up now, you gotta deal you gotta cope
Will you be electric sheep?
Electric ladies, will you sleep?
Or will you preach?"

The rap

I asked a question like this
“Are we a lost generation of our people?
Add us to equations but they’ll never make us equal.
She who writes the movie owns the script and the sequel.
So why ain’t the stealing of my rights made illegal?
They keep us underground working hard for the greedy,
But when it’s time to pay they turn around and call us needy.
My crown too heavy like the Queen Nefertiti
Gimme back my pyramid, I’m trying to free Kansas City.

Mixing masterminds like your name Bernie Grundman.
Well I’m gonna keep leading like a young Harriet Tubman
You can take my wings but I’m still goin’ fly
And even when you edit me the booty don’t lie
Yeah, keep singing and I’mma keep writing songs
I’m tired of Marvin asking me, “What’s Going On?
March to the streets ‘cuz I’m willing and I’m able
Categorize me, I defy every label
And while you’re selling dope, we’re gonna keep selling hope
We rising up now, you gotta deal you gotta cope
Will you be electric sheep?
Electric ladies, will you sleep?
Or will you preach?”

No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...