4/5/12

Navio Escola Sagres


A visita do navio escola Sagres à Figueira da Foz foi também uma oportunidade para aprender algo mais sobre ele. Durante o tempo que aqui esteve ancorado, três dias, o navio recebeu 12.000 visitas o que atesta bem o fascínio que ele exerce por onde passa. Os marinheiros disseram-me que é sempre assim e isso não me surpreende. Nacionais e não nacionais, em portos portugueses ou longe da pátria, facilmente se rendem à beleza das velas e dos mastros no horizonte, o contrário é que seria de estranhar. Embora o navio nos diga mais a nós, portugueses, creio que recorda a todos um tempo em que o mar era uma porta misteriosa para o mundo e para a aventura, uma época em que as máquinas e os cálculos computorizados ainda estavam por vir e muito se confiava na intuição e até na sorte quando se pisava um convés. Durante as manobras no porto ouviam-se os apitos e as ordens dadas aos homens, sons e palavras de um vocabulário próprio, que não devem ter mudado em 50 anos de histórias de viagens, acompanhados também por gestos aprendidos e repetidos e que já duram desde o início das viagens marítimas. Uma escola para os cadetes e um museu de história viva para nós, que o visitamos, e ainda por cima de borla, num tempo em que tudo se paga, um privilégio afinal. 
O Navio Escola Sagres é uma barca de 4 mastros, com 23 velas. Existem mais navios irmãos da Sagres: Gorch Fock I/Tovarich (1933), Horst Wessel/Eagle (1936), Mircea (1938) Herbert Norkus (1939) e Gorch Fock II (1958). A bordo seguem Oficiais,  Sargentos,  Praças e Cadetes. Tem por missão  formar os cadetes da Escola Naval, promover a imagem de Portugal no Mundo, apoiar a diplomacia política, económica e cultural portuguesa, estreitar as relações entre Portugal e outros países que visita e contactar os Portugueses na Diáspora.  O navio dispõe de 10 velas redondas e 13 velas latinas, num total de 1979 m² de área vélica, podendo atingir uma velocidade máxima de 16,5 nós. Leia mais sobre esta embarcação no site da Marinha. Para conhecer o navio também pode dar uma espreitadela às fotografias que fiz do navio escola Sagres. Aí o encontrará iluminado pelas 6000 lâmpadas, que, uma a uma, são colocadas ao longo de duas horas e meia de trabalho, sempre que o navio aporta. Mas também o fotografei à luz do dia, e quando chegou e quando partiu pelo Mondego. Nas minhas leituras e procura de informação sobre o mesmo também encontrei o hino do navio interpretado por Vitorino e  acompanhado pela Banda da Armada dirigida pelo Maestro 1º. Ten. Délio Gonçalves, que aqui deixo!


No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...