12/31/11

Sonhei com o Jim Morrison

Esta noite acordei por voltas das sete da manhã, quer dizer, já era madrugada, estava a sonhar com o Jim Morrison.  Foi o último sonho de 2011! Um desenhador americano, cujo blogue visitei durante imenso tempo com assiduidade, ilustrava os sonhos que tinha tido. Alguns eram hilariantes, outros estranhos, havia-os também desconexos, surreais, complicados e ininteligíveis. Eu invejava o Goobeetsa por dois motivos, primeiro, por se lembrar dos sonhos e depois pela paciência infinita para os desenhar, ainda que usando formas geométricas. Acabou por fazer um livro com essas ilustrações. 
Quando eu e a minha irmã éramos pequenas eu costumava  contar-lhe os sonhos que tinha tido enquanto tomávamos o pequeno-almoço. Nunca me lembro de ter tido pesadelos ou de sonhar coisas desagradáveis e ainda bem. Por regra sonho coisas fantásticas, que na realidade nunca acontecem, coisas incomuns e estranhas. Durante um tempo sonhei bastantes vezes com golfinhos. Uma vez vi o mar da praia da Figueira cheio deles. As ruas da cidade tinham as casas decoradas com colares de pérolas de todas as cores, mas eram colares que chegavam do primeiro andar ao chão! Raras vezes sonho com pessoas conhecidas e quando isso sucede tenho por hábito informá-las!Sempre achei fabulosa, esta nossa capacidade de sonhar, e tenho pena de me recordar com dificuldade do que sonhei. É preciso acordar durante o sonho para que nos recordemos dele e depois é ainda preciso que, de manhã, nos lembremos disso! Gostava de fazer o download dos meus sonhos para uma maquineta, para os ver depois! Muito melhor do que cinema, isso vos asseguro! Pode ser que um dia seja possível, quem sabe?! 
Bom, esta noite sonhei com o Jim Morrison. Já devem estar a pensar que sonhei com o Rei Lagarto! Lagarto, lagarto, lagarto! Não, não sonhei com o vocalista dos Doors. Li há pouco tempo que um tal  Sam Bernett, ex-jornalista, tinha escrito um livro de nome "The End" onde dava conta que Jim Morrison tinha morrido  num WC do bar Rock’N’Roll Circus, em Paris, após ter consumido heroína. Mais, depois do livro sair, veio um português, José Simas, barman nesse local, dizer que ele é que o tinha encontrado no WC do tal bar e que no livro se tinham esquecido dele! Era fama que eu não queria ter, ser conhecida como a gaja que tinha dado com o Jim Morrison caído nuns lavabos a espumar pela boca, mas, enfim, antes alguma fama do que nenhuma fama, para algumas pessoas isso é importante! O livro foi polémico pois os fãs de Morrison acharam que esta versão manchava a memória do músico, preferiam a ideia de que teria morrido de morte natural, na banheira do apartamento. Opiniões, porque Jim Morrison consumia heroína como quem consome açucar, não vejo qual a diferença. Não sei a quem é que a morte natural de Jim Morrison, que tinha somente 27 anos, pode parecer natural, sobretudo depois de conhecermos os seus excessos com drogas e bebidas. Mais: o homem nem sequer foi autopsiado, por isso as versões sobre a causa da sua morte são todas aceitáveis, cada um que fique com a que mais lhe agrade.
Este Jim Morrison também é uma estrela mas não tão conhecida, não tão polémica e com hábitos de vida bem mais saudáveis. Faz sobretudo papéis em séries televisivas, também já gravou umas canções e é um entusiasta da prática do ioga. Quem seguia a série 24 talvez se lembre da personagem de Bill Buchanan, o sereno director do CTU. Eu curtia bué o Bill Buchanan e quando eles resolveram matar a personagem foi um choque!!! Eeheheh! Pois, é sonhei com o Jim Morrison. Estava eu a almoçar num restaurante todo catita, quando ele apareceu com um amigo, a falar português na perfeição e conhecia-me muito bem, apesar de já não me ver há uns tempos! Hilariante! Ei-lo aqui a falar entusiasmadamente da ioga,(em inglês) algo cujo fascínio me escapa, mas quem sabe se, com um professor como ele, eu até não acabaria por me converter?

No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...