12/24/10

Boas Festas aos meus amigos e visitantes!

10/30/10

Como preparar uma santola (carangueijo espinhoso!!)


Duas santolas preparadas aguardam a chegada dos convivas!Servidas nas carapaças do carangueijo. O exterior da carapaça da santola, também chamada carangueijo espinhoso ou carangueijo aranha.
Na taça azul a carne retirada das patas das santolas, na verde, o conteúdo recolhido das carapaças!A santola fêmea! Como podem ver bem no centro do corpo tem uma zona arredondada-penso tratar-se do abdómen?! No mesmo lugar os machos tem uma "tampinha" mais alongada e estreita. É assim que distinguimos as senhoras santola e os senhores santola.

Prometi no FB colocar as fotografias das santolas que cozinhei no blogue. Todavia, enquanto as preparava, pensava no quanto era ignorante a seu respeito. Resolvi pesquisar um pouco e partilhar o que descobrisse aqui.

.

Breve caracterização da santolaA santola (Maja squinado) é um caranguejo comestível de carapaça cordiforme, ou seja, em forma de coração, de cor alaranjada. É conhecido também como carangueijo aranha europeu ou caranguejo espinhoso. Quando adulta pode alcançar cerca de 18 cm de comprimento e 20 cm de largura. A carapaça está repleta de protuberâncias e espinhos pequenos mas afiados, é muito desagradável ao toque, e é orlada de picos. Os mais desenvolvidos situam-se à frente e começam a ser notórios a partir de metade do corpo. Aí, entre os picos, também encontramos filamentos duros, que quase se assemelham a uma pequena escova. À carapaça costumam agarrar-se outros animais marinhos e algas. Para crescer ela passa por uma fase de muda do exosqueleto ou ecdise, pensando eu que esse novo revestimento seja mais mole e endureça progressivamente. Enquanto isso sucede o animal torna-se gregário possivelmente como medida de defesa contra a sua vulnerabilidade. Vive no Atlântico nordeste e central, costa sudoeste da Europa e costas do Mediterrâneo.

A santola aos olhos da ciênciaA classificação científica revela-nos que este animal é um artrópode porque tem membros articulados que usa para perceber o mundo que o rodeia, para se alimentar, para se locomover e para se defender. Também porque tem um corpo segmentado que se divide em cabeça, tórax, (fundidos, que toma o nome de cefalotórex) e abdómen. Além disso o seu esqueleto é feito de quitina como seu principal constituinte e proteínas. A quitina é responsável pela rigidez do esqueleto. É um Crustáceo – o que significa carapaça dura, vem do latim, crusta. A sua classe é a Malacostraca. Inclui a maior parte dos crustáceos mais conhecidos. É um Decápode o que significa que tem cinco pares de patas ambulatórias. Os camarões e as lagostas também pertencem a este grupo. A santola pertence à infra-ordem Brachyura, crustáceos caracterizados por terem o corpo totalmente protegido por uma carapaça, cinco pares de patas, (pereópodes) o primeiro dos quais normalmente transformado em fortes pinças, e geralmente o abdómen reduzido e dobrado por baixo do cefalotórax. Pertence à família Majidae e ao género Maja. Alimenta-se de algas e moluscos, estrelas, ouriços e pepinos do mar. São animais migratórios deslocando-se das zonas costeiras para o largo, no Outono, onde a mais de 50-90 metros passam o Inverno. Podem percorrer mais de 100km nesse percurso. Na Primavera regressam às zonas costeiras. Uma curiosidade: em alemão chamam-lhe Spinkrab, em inglês, Spinous spider crab, em francês, Araignée de mer, em italiano Granceola, Centolla europea para os espanhóis, e, para nós, é santola e não sapateira, como por vezes dizem! A sapateira é algo diferente.

A santola aos olhos das pessoas gulosas! Como preparar uma santola? Uma breve introdução!
Se fizermos uma busca no Google ou lançarmos a questão no Facebook, não faltam sugestões. O limite será até talvez a imaginação de cada um e o que o paladar melhor eleger! Mas eu, conhecida por não ser um às na cozinha, jogo pelo seguro. Há duas formas básicas de comer a santola: uma delas é cozê-la em água e sal, e servi-la como mostrou o espanhol no video acima. Uma variante ao que ele fez é retirar a carne de dentro das patas e colocá-la também dentro da concha e levar à mesa. Evitam-se acrobacias com o manuseio das patas e marisco a voar para a cara do vizinho comensal! Outra é preparar um molho com o conteúdo da santola e servir em tostinhas. Eu gosto das duas maneiras. Se o animal for carnudo e estiver bem cheio a melhor forma é mesmo comer a santola cozida. Quando nos calha um animal magrinho e quisermos fazer o tal molho ou paté, temos de encorpar misturando pão ralado grosso, broa de milho, pão de centeio grosso ou mesmo couscous, estes uma sugestão da Manuela Silva, via Facebook, de que eu nunca tinha ouvido falar. Todavia se colocarmos muito, muito pão, deixa de fazer sentido usar tostinhas. Para mim, pelo menos, é simplesmente pão a mais. Os ingredientes mais habituais a juntar são a maionese, a mostarda, o sal e a pimenta, o piri-piri, a salsa e a cebola picadas, o azeite e o vinagre, os pickles picados, o whiskey, a aguardente, o vinho do Porto. Também o ovo cozido ou o queijo se juntam com êxito ao preparado. Penso que as receitas mais comuns recorrem a uma combinação de alguns destes elementos. Depende também do gosto de cada um carregar mais num ingrediente ou noutro. A regra que eu criei é tentar preservar ao máximo o gosto do marisco. O que faço é ir juntando pequenas quantidades de cada um dos ingredientes escolhidos e ir provando para controlar. Não se esqueçam que a cozinha não é o meu território de excelência e que só me meto nestas aventuras porque os bichinhos do mar são irresistíveis para mim!
.Mas, afinal, como preparar uma santola? Agora é a sério!
Limpar e cozer!
Receber duas santolas trazidas por um pescador do barco é um privilégio. Marisco deve ser comprado vivo e degustado no mais breve espaço de tempo após a sua morte. Estas duas santolas, um macho e uma fêmea, vinham bem vivas da silva, a remexer-se dentro da saca. A primeira coisa a fazer é lavá-las, e isso não é muito simples. Elas têm força, são pesadas e a carapaça magoa bastante os dedos. Por isso, pessoas de mãos delicadas, como eu, calçam umas luvas e num tanque procedem à lavagem dos crustáceos, com uma escova de pelos duros e água corrente. A carapaça traz sempre limos e coisas presas. Elas costumam camuflar-se com muito êxito. A parte inferior do animal não é grande problema, o lixo está quase sempre em cima. Eu mantenho os dedos longe das pinças. Agarro pelos bordos da carapaça, lateralmente, ou então por trás. Depois de lavadinhas, as minhas santolas aguardaram que a água da panela ferva. A panela tem de ser grande pois a água tem de cobrir as santolas. O sal é uma questão discutível. Eu não gosto de coisas salgadas. Para mim uma colher de sopa de sal grosso por cada bicho serve. Depois de colocadas em água fervente ficam cozidas em 20-25 minutos. Eu vou retirando a espuma que se forma à superfície. Apago o lume e retiro as santolas para escorrerem e arrefecerem. Por esta altura já temos no ar um belo cheirinho a marisco cozido que nos ajuda a perceber que está tudo a correr bem.
.
Abrir a santola e retirar o que é comestível
O video espanhol já indica muito bem o que fazer na fase seguinte. Temos de proceder como quando comemos pequenos carangueijos: retiramos a “tampinha” que se encontra da parte inferior do animal e que, sendo estreita e alongada indica tratar-se de um macho, se larga e arredondada, nos indica estarmos na presença de uma senhora santola. E também umas placas na zona da cabeça, ou da boca, que se soltam logo assim que enfiarmos as unhas. (Ah, unhas! Um dos danos colaterais da preparação das santolas são as unhas. Eu, que as uso compridas, finda a preparação sigo para a manicure. Não gosto de usar luvas e penso que neste caso é mesmo preciso sentir o marisco. Em resultado não me livro de uns quantos micro-golpes.) Ao contrário do video espanhol eu também arranco as patas antes de abrir a santola. Tento separá-las mesmo rente ao corpo e quase sempre consegue-se. Guardo-as ao lado e abro então a santola, introduzindo uma faca na parte posterior do animal. Basta dar um jeitinho, na junção da carapaça com o corpo arredondado de onde saiem as patas, mesmo atrás, e as duas separam-se o suficiente para depois eu forçar a abertura à mão. Seguidamente, retiro as guelras do corpo, são uns filamentos fibrosos cinza-cinza escuro, e deito fora. Já os provei e eles não sabem a grande coisa.No espaço ao meio também há santola para aproveitar. Depois, com uma faca bem afiada corto ao meio este corpo. Com a ajuda dos dedos retiro toda a carne branca das pequenas “cavernas” que compõem cada uma dessas partes que cortei, empurrando cuidadosamente, para uma taça. Tento ao máximo não usar mais a faca para o cortar pois de cada vez que o fizer vou provocar “estilhaços” nessa estrutura branca e depois tenho de os escolher e é mais trabalho. Antes de colocar na tigela certifico-me que não leva cascas junto pois encontrar isso na boca mais tarde estragará a festa. Depois vou à carapaça. Retiro para a taça todo o conteúdo, com a ajuda dos dedos. Cuidado agora! Logo abaixo da zona da cabeça do animal existe um saco que costuma ter areia ou limos e que temos de retirar. Uma vez uma tinha um saco cheio, enorme!!!Se aquilo se espalhasse, adeus pitéu! Eu retiro tudo à volta e no fim faço isso. As fêmeas contêm ovas alaranjadas. Os machos costumam ter mais suco, isto é, caca, caca muito saborosa. Aproveitar tudinho! A carapaça- ou as carapaças- vai para o tanque para lavar bem - o preparado vai ser servido nela. Agora, as patas. Apenas uso o martelo (daqueles de plástico branco, não o do S.João!) nas zonas mais grossas das patas pois nas restantes o simples puxar das diferentes secções vai permitir retirar a carninha do animal. Apoio na placa e bato com força. Uso a pinça da santola para ajudar a retirar alguma carne que tenha ficado dentro. Costumo colocar isto num tabuleiro à parte pois há sempre pedacitos de casca que resultam das marteladas que convém escolher. Usar a ponta dos dedos é a melhor forma de os encontrar, catando por entre a deliciosa carne recolhida que depois desfio um pouco com a ajuda de dois garfos.
.
Por fim, juntar ingredientes e temperos, servir!
Agora é juntar estes filamentos ao conteúdo que tínhamos recolhido da carapaça e mexer. Se temos muitas ovas inteiras eu desfaço-as um pouco, mas não muito pois gosto que o preparado não fique homogéneo, tipo paté. A textura é importante! Mas mais uma vez acho que é uma questão de gosto. Chega o momento de juntar aqui alguns dos ingredientes que indiquei no início. Desta vez eu tinha imensa santola, logo não vi necessidade de juntar aqui pão. Juntei apenas: três colheres de sopa de maionaise, uma colher de sopa de pickles picados, um ovo picado, uma colher de chá de salsa picada, bastante pimenta, um dos meus temperos favoritos. Nem foi preciso mais sal. Tudo lá dentro e resta mexer para envolver bem, mas sem triturar. Deitei nas carapaças lavadas e secas e coloquei na mesa. Não sobrou nem um pedacinho!:)) Fim!

9/28/10

Blog Action Day é a 15 de Outubro. Água é o tema!

Blog Action Day é um evento anual que reúne blogueiros de todo o mundo na postagem sobre o mesmo assunto no mesmo dia. O seu objectivo é sensibilizar e desencadear uma discussão global em torno de uma questão importante que afecte todas as pessoas. A finalidade do Blog Action Day é criar uma discussão. Pede-se aos blogueiros para tirar um único dia da sua agenda e dedicar o seu tempo e a sua atenção a uma questão importante. Ao fazê-lo no mesmo dia a comunidade de blogues efectivamente muda a conversa na web. Eu tenho participado em anos anteriores, criando uma imagem e escrevendo sobre o assunto. Dia 15, está na agenda!

Blog Action Day:
http://www.blog.blogactionday.org/

9/21/10

AMI - APELO À RECICLAGEM! DIVULGUE!


"Mais de 6.500 parceiros já se juntaram à AMI com o objectivo de promover a reutilização e reciclagem de consumíveis informáticos e telemóveis. Este projecto foi já responsável pelo correcto encaminhamento de cerca de um milhão destes equipamentos. Faça já a sua entrega ou adquira consumíveis regenerados. Clique aqui para saber como. Contacte-nos através do endereço de e-mail reciclagem@ami.org.pt. Encaminhe este e-mail para os seus contactos. Dê. Vai ver que não dói nada. "

9/14/10

A semente cresceu!


Os meus visitantes talvez se lembrem das bolinhas de hidrogel sobre as quais escrevi há umas semanas. O pacotinho trazia uma semente além das esferas coloridas. Dez dias depois já tenho novidades, mas mais para mostrar do que para contar. Não sei muito de botânica, aliás, sei mesmo muito pouco. Penso que a semente terá absorvido a água que as bolinhas contêm e aumentou de volume assim se rompendo o tegumento, a sua casca. O embrião da planta misteriosa está portanto em desenvolvimento! Aquele filamento maior deve ser a raíz. Junto ao corpo da semente, encostado ao filamento, já se vê qualquer coisa, penso eu que sejam as primeiras folhas ou algo que lhe dará origem. Tenho tido o frasco à luz, mas indirecta. Algumas das bolitas parecem ter ganho bolor. Acho que ainda vai tudo apodrecer. Lembram-se como era quando fizeram crescer um feijão em algodão húmido?!! Pois, é isso, só que não tenho a menor pista sobre se esta semente é um feijão, uma fava ou uma planta carnívora! Vamos aguardar!

9/6/10

Afinal o Pai Natal existe mesmo!


Ontem vi no canal Odisseia um documentário sobre viajantes no Alaska e a cidade do Pai Natal. Sei que ainda é cedo para o Natal, afinal ainda ontem vesti o meu bikini, mas esta apanhou-me desprevenida. Ora então vamos lá. Originariamente chamada Davis, que tinha sido o nome oficial desde 1949, após uma petição bem sucedida para o Tribunal Federal dos Estados Unidos surgiu a cidade do Pólo Norte. Dahl e Gaske, os promotores da ideia, pensaram que esse nome iria atrair negócios, em especial um qualquer fabricante de brinquedos que poderia invocar que eles teriam sido “feitos no Pólo Norte”, sem dúvida uma boa publicidade. Mas até hoje ainda nenhum se fixou. Ali moram, isso sim, muitas famílias de militares das duas bases americanas próximas, Ladd Air Force Base e Eielson. Outra ideia era que a cidade podia transformar-se numa espécie de cidade temática, a la Disneyland, dedicada integralmente ao espírito do Natal o ano inteiro. Muitas das ruas têm nomes associados às festividades do Natal, como por exemplo, Santa Claus Lane ou North Star Drive, e estão decoradas permanentemente. Por outro lado os edifícios têm cores e motivos natalícios, os candeeiros da iluminação pública, por exemplo, são pintados com riscas vermelhas e brancas, como as bengalas doces. No Pólo Norte, numa dessas ruas, na St. Nichols Drive, fica a casa oficial do Pai Natal. Sentado na sua cadeira, de barbas brancas, sempre pronto a sorrir para mais uma fotografia, ele aguarda, vestido a rigor, meninos e meninas e as suas listas de prendas. As renas estão numa cerca todo o ano e também são, claro, uma atracção para os visitantes. No mês do Natal chegam aos correios da cidade milhares de cartas endereçadas ao Pai Natal e os funcionários respondem à mão a todas elas. Esta cidade fica no estado do Alaska. Aqui a chuva é moderada, o ar seco. Entre Setembro e Abril reina a neve. Longas horas de luz durante o Verão caracterizam o Pólo Norte. O dia mais longo acontece em Junho com 23 horas de luz solar, o mais pequeno em Dezembro, apenas 3 horas de luz solar. Verificam-se diferenças de temperatura extremas sazonais, há registo de mínimos históricos de -61 graus no Inverno e máximos de 35 graus no Verão. Além do Pai Natal, outra estrela famosa da região é a Natureza. Abundam parques com lagos e rios onde se pode pescar e nadar, há trilhos para seguir, a pé, de bicicleta, e descobrir a flora e fauna intocadas da região, isto na estação quente. No Inverno a neve é quem mais ordena, há festivais de esculturas no gelo, esqui para fazer e mais. Talvez por não ser grande fã do Pai Natal nunca me tinha apercebido de que afinal o gordo barbudo e benfiquista existe mesmo. Tem casa na neve, no Pólo Norte, renas, e funcionários diligentes respondem por ele às cartas que as crianças lhe enviam no Natal!É muito boa vida, todo o dia sentado a posar para a foto, não admira que esteja anafado! Contra argumentos de peso, resta dizer: Ho!Ho!Ho!

9/4/10

Seven Color Crystal Boll - o que é isto?!!



Há uns tempos atrás fiquei intrigada com este produto que encontrei à venda numa loja de produtos chineses. Uma semente rodeada de pequenas esferas coloridas?!! Mas que chinesice seria esta?! As indicações na embalagem foram decerto traduzidas automaticamente e daí não serem completamente perceptíveis: 1. Add water to the product, about 4 hours it will grow up. 2. One clear beauty satiety will grow up. 3. When the flower want to oxigen and nutrition, I will help you too much. Design by Kore...a and Made in China! Percebi que bastava juntar água e que crescia. Nunca me lembrei que seriam as bolitas a crescer, burra, burra, eheheheh, pensava que era a semente que crescia! Pensei perguntar por mais informação à menina, na caixa, mas havia fila e foi toca a despachar. O meu sobrinho ficou igualmente intrigado e à espera que a tia fizesse a experiência. As semanas têm passado e o pacotito ficou por aqui. Ontem foi dia de arrumar o caos na secretária, gavetas e prateleiras adjacentes, e, de repente, ei-lo entre folhas, canetas e restos de espuma eva. Feita alguma pesquisa no Google, encontrei um site onde está reproduzida a informação que está escrita no pacotito: agora percebo, os cristais depois de crescidos pela incorporação da água vão alimentar a planta, é uma espécie de solo sintético, também conhecido como hidrogel. Mas continuei a procura e aqui encontrei mais informação: as esferas são colocadas em água por quatro horas, absorvem a água e crescem! Nos 1-2 meses seguintes bastam para alimentar as plantas em conjunto com os nutrientes que já contêm. Ao fim desse tempo é preciso voltar a regar as esferas. Ao fim de um ano os cristais devem ser substituídos por causa dos nutrientes esgotados. Não é tóxico e é bio-degradável. É um polímero capaz de absorver 40 a 180 vezes o seu peso em água. O bambú e o aloé vera, por exemplo, podem crescer sem terra, apenas com recurso a estas bolitas. Mas também pode ser utilizado com terra. Então como se usam? Depois de crescidos, isto é, após 4 horas de molho, colocam-se nos vasos e floreiras com plantas e flores que necessitem de humidade. Sobre a terra dos vasos, por exemplo, quando vamos de férias e não temos a quem deixar as chaves do apartamento, já não é preciso que alguém vá regar as plantas. Também podem ser colocados dentro de objectos de cristal ou vidro, para efeito decorativo: eles ficam coloridos, mais visíveis, harmonizando-se com a decoração através das cores disponíveis. Sem terem absorvido a água, podem ser misturados com a terra dos vasos, assim ajudando a reter a água das regas e evitando que as plantas morram se nos esquecermos de regar, quer as tenhamos dentro ou fora de casa. Parte do mistério está resolvido. Todavia, que planta sairá da semente?!! A semente tem um desenho de duas mãos a apertarem-se num cumprimento, e no verso diz Thank you. Quando houver desenvolvimentos, eu fotografo e faço novo post, aguardem!

9/2/10

Mortes no mar da Figueira da Foz

Em Julho o mar da Figueira da Foz fez uma vítima, um jovem de 22 anos, de Castelo Branco, já não me recordo se foram conhecidas as condições do acidente. Agora foi a vez de um homem de 58 anos, de Cantanhede, ter sido tragado pelas águas. O primeiro morreu numa praia não vigiada, o segundo, na praia do Relógio, mesmo em frente à esplanada Silva Guimarães. A perda de vidas é sempre lamentável. Mas ainda mais lamentável se torna quando na sua base está a velhinha imprudência. No fim-de-semana passado vi os/as nadadores/oras-salvadores/oras a apitar para que as pessoas se deixassem de brincadeiras junto das ondas. Tem estado imenso calor, apetece realmente refrescar nem que seja a ponta dos pés nas águas. Mas não com a ondulação medonha que tem estado, espectacular para apreciar, mas não para banhos. Quem frequenta a praia do Relógio sabe que ela não é plana, a areia desce até ao mar. As ondas enormes desfazem-se e projectam água que sobe rapidamente pela areia. Esta água desce depois vertiginosamente e arrasta quem se descuidar. É mais fácil do que parece. As bandeiras têm alternado entre o amarelo e o vermelho, mas isso não tem afastado TODA a gente da água. Para mim a indicação é clara: vermelho é para ficar no seco. Pessoas, se estão com calor, se estão mal, mudem-se. Vão até aos chuveiros de praia, vão para uma esplanada, um café, vão para casa. Não sei de onde é que lhes vem a confiança para se acercar do mar nestas condições, acreditem que as ondas têm estado maiores do que eu. Bem, eu sou pequena, não foi um bom exemplo. Talvez por isso tenha medo perante as enormes massas de água que se desfazem em espuma contra a areia. Estes banhistas querem testar o quê? A coragem? A temeridade? A loucura?! O que é preciso além de ter olhos na cara?! É todos os anos o mesmo. Já vi cenas de arrepiar, um quase afogamento, que, felizmente, foi remediado mas apenas porque o mar que tinha enrolado uma mulher nas ondas a deitou para fora e uns banhistas ágeis lhe deitaram a mão. É preciso ver que as imprudências podem matar não apenas o imprudente mas também quem socorre e que nem sempre é o nadador-salvador. Nesse caso e nem sei porquê, não havia nenhum em frente à praia do Oásis, e vi muita gente a precipitar-se para dentro de água. Claro que isto aconteceu num dia de bandeira vermelha. Será preciso fazermos uma daquelas campanhas como se faz nas estradas, com as fotos de quem perdeu a vida nos respectivos locais, para convencer os banhistas de que o mar é realmente perigoso e de que a bandeira vermelha hasteada tem um significado? Eu já não sei. É como os banhistas e as escarpas algarvias. Continuam a procurar a sua sombra e a queixar-se que os sinais de aviso são pequenos e poucos. Depois lá vem um dia em que as pedras rebolam e o infortúnio acontece, e ai meus Deus que tragédia, e de quem é a culpa, e a quem é que vou pedir contas, etc, etc. Nem que o aviso estivesse escrito no céu em letras de fogo: o mal só acontece aos outros.

8/28/10

11º Aniversário do Blogger - Meet up Blogger Fiesta!

O Blogger estás prestes a fazer 11 anos!
Está mais sábio e cheio de vontade de se divertir. Este ano vai haver um aniversário à escala global, uma celebração feita, é claro, pelos bloggers de todo o mundo. O Blogger marcou a data - 31 de Agosto. O pessoal organiza-se com a ajuda da aplicação Meetup Everywhere, marca hora e tudo o mais que lhe passar pela cabeça. Visite o Meetup para encontrar outros blogueiros na sua área geográfica e assim participar numa festa já criada ou então comece uma nova farra! Está na hora de dar a cara pelo seu blogue e nenhuma festa será pequena demais. Que tal aproveitar a ocasião para finalmente reunir com aqueles amigos com quem ainda só manteve contacto online e que há muito pensa conhecer? O Blogger fornece um pack via download para ajudar à festa: faça chapéus, etiquetas para nomes, imprima setas para que todos encontrem a festa, ou inspire-se e crie os seus próprios.

O que está no Convite?!

O quê: festa do 11º aniversário do Blogger!
Como: Registe-se num Meetup perto de si ou comece uma festa na sua cidade.
Onde: Em qualquer lugar onde estiver!
Quem: Todos! Nunca se sabe quem pode aparecer.
Quando: Terça-feira, 31 de Agosto de 2010, à hora que quiser!
RSVP: http://www.meetup.com/bloggerfiesta

Como funciona?!

Tudo que você precisa está no site Meetup BloggerFiesta.
Para encontrar uma festa perto de si, basta fazer uma busca rápida no mapa.
Para aderir a uma festa agendada, basta clicar no botão "Estou interessado."
Para iniciar uma nova festa, clique em agendar um Meetup!
O programa da festa é livre! Mas pode partilhar as suas ideias:

Faça um comentário na página do Facebook
Tweet no Twitter usando a hashtag # bloggerfiesta
Poste no Fórum
Tag fotos no Picasa Web Albums com bloggerfiesta
(Também pode consultar o post original, aqui.)

8/27/10

Cheias devastadoras no Paquistão: quem ajuda?


Ontem apanhei um flash noticioso na TV relativo às cheias no Paquistão. Desde que Hillary Clinton fez um apelo público por dinheiro para ajudar os milhões de paquistaneses afectados que a resposta, magra, tem aumentado. Mas não há paralelo com a resposta obtida para fazer face ao sismo do Haiti nem por parte dos cidadãos, nem por parte dos governos. Muito menos mortes a registar aqui, até ao momento, mas a dimensão da devastação ambiental e perda de meios de subsistência e abrigo de uma enorme massa populacional conformam também uma catástrofe. Pior é tratar-se de um país muito pouco querido da opinião pública mundial. Uma pesquisa pelas notícias disponíveis na internet permite saber que nem mesmo os países amigos do Paquistão, a Arábia Saudita, Dubai, terão mobilizado ajuda significativa. Além se ser vítima das condições climatéricas, pese embora a normalidade da existência de cheias de monção moderadas nesta época do ano, o Paquistão sofre agora em virtude da dificuldade de progressão no terreno e da ausência de uma coordenação eficaz. Por outro lado a corrupção tornou-se há muito a imagem de marca deste país e ninguém gosta de contribuir sabendo que a probabilidade do dinheiro não chegar ao destino,ou seja, a quem mesmo dele precisa, é elevada. O exemplo do terramoto de 2005 está ainda fresco na memória de todos. A reconstrução continua por fazer muito tempo depois de ter sido recebida a ajuda da comunidade internacional. Resta referir a fama do Paquistão como ninho de simpatizantes e militantes do terrorismo. Os Taliban já vieram dizer que as cheias são a punição de Deus pela aceitação de líderes seculares e fizeram juras de vingança contra a ajuda humanitária estrangeira, “inaceitável por ter no seu âmago outras intenções”, ou apelos ao seu boicote. Para sobreviver as populações têm sido forçadas a escolher entre líderes governamentais corruptos, sem visão, e extremistas religiosos, e perante as piores cheias dos últimos 80 anos anos, num país com péssima reputação internacional, estão a ser penalizadas por isso também, injustamente. Além da intervenção imediata para socorrer pessoas deslocadas e sem abrigo, malnutridas e doentes, o esforço de longo prazo para a reabilitação das infra-estruturas perdidas prevê-se gigantesco. Ajudou o Haiti? Vai ajudar o Paquistão? Veja um slide de fotografias no The Guardian:

8/26/10

Mulher tranca gata em caixote de lixo!


Uma mulher reuniu 130 gatos vadios no seu apartamento e cuida deles.

Outra mulher atirou um gato para um contentor de lixo e foi à sua vida.

Caminhamos indolentemente rua abaixo no regresso de mais um enfadonho dia de trabalho no banco atendendo clientes irritantes, exigentes e impertinentes. Eis quando topamos com um gato que se passeia provocadoramente no muro de uma casa. Passamos-lhe a mão e somos então subitamente assaltados pelo desejo de regredirmos à infância, tempo mágico quando prevaricar se punia com um breve puxão de orelhas e um pedido de desculpas em privado. Olhamos furtivamente em redor e assim como quem está a fazer a boa acção do dia, agarramos o gato pelo cachaço e colocamo-lo no caixote do lixo próximo. Depois continuamos a nossa marcha, donos de uma aparente normalidade anormal. Rimos risos abafados por dentro e durante 60 segundos sentimo-nos 30 anos mais jovens. Mas não previmos, no nosso abandono à brincadeira perversa, que na época da videovigilância haveria uma câmera dedicada de olho em nós. Agora o Big Brother soltou um brado internetário e a nossa cara acinzentada e estúpida está por todo o lado: no Facebook, no Youtube, nos blogues, nos links do Twitter. Somos tristemente famosos pelo mal feito. Criaram até um grupo no Facebook - Death to Mary Bale - que rapidamente se populou de seguidores, gente equiparando-se-nos no concurso de comportamentos irrefletidos e irracionais, uma moda dos tempos. Acossados como nos sentimos, já temos protecção policial. Em breve iremos responder na justiça britânica por crueldade. "Para quê tanto alarido, é apenas a porra de um gato." - dizemos com a máxima descontração. Lola, a gatinha de 4 anos, está bem, mesmo se passou 15 horas trancada num contentor de lixo. E agora somos nós que fomos apanhados mas no julgamento da opinião pública. Estamos perplexos, não entendemos. Queremos descanso, mas o ar pesa e as horas alongaram-se estranhamente.

8/21/10

Algarve: a praia da Rocha


Mais fotografias da praia da Rocha:

Extensa língua de areia protegida por falésias, a baía da praia da Rocha oferece óptimas condições para a prática de desportos náuticos, passeios de barco, e banhos de mar descontraídos para crianças, jovens e adultos, sendo curioso apreciar a peregrinação diária de banhistas carregados de insufláveis de todas as cores e formas. Se apreciam banhos de sol e jogos na areia, no vasto areal as areias são claras, finas e muito limpas. Os acessos fazem-se através de escadas por vezes um pouco cansativas e passadeiras de madeira. A acompanhar toda a praia existe um longo passadiço de madeira, pista ideal para uma marcha ou corrida matinal. "Três Ursos", "Rochas Furadas" e "Dois Irmãos" são alguns dos nomes com que foram baptizaram os rochedos que orlam a costa. As falésias elevadas estão sinalizadas com avisos sobre potencial desmoronamento mas não é por isso que os banhistas evitam dormitar à sua sombra. A Avenida Tomás Cabreira acompanha a linha da costa até à Fortaleza de Santa Catarina de Ribamar. Dali se avista, à nossa esquerda a bonita marina de Portimão e a pitoresca Ferragudo, com o seu castelo na margem do rio Arade; à direita avistamos toda a longa praia e suas estruturas de apoio. Naquela marginal são inúmeros os hotéis, bares, restaurantes, esplanadas e discotecas, além de lojas de venda dos habituais souvenirs e artigos de praia. Também existe um Casino. Não é, pois, surpresa que a praia registe intensa animação nocturna. Pequenos mini-mercados dispersos apoiam as nossas necessidades diárias, não sendo preciso voltar a pegar no carro após a chegada para ir a uma grande superfície, em Portimão, embora isso se faça rapidamente e através de bons acessos. Apesar da enorme afluência de banhistas, sendo uma praia extensa, conseguimos em pleno Agosto ainda encontrar o nosso espaço de diversão e de descanso! Aconselho! Vejam mais fotos no link acima.

8/19/10

Bookcrossing em Portimão com a ajuda da EMARP


Imaginem que estão de férias num local muito turístico e que de repente avistam um livro sobre uma espécie de poço no meio de uma fortaleza onde tinham acabado de entrar. Pensam decerto para convosco, olha, alguém esqueceu aqui um guia turístico, deixa lá ir ver. Foi o que sucedeu comigo. Aproximei-me mas vi logo que se tratava antes de um free book da rede Bookcrossing que eu já conhecia mas que nunca tinha experimentado. Eu gosto de ler, mas leio muito pouco, sobretudo comparativamente a tempos passados. De tal forma que fui para férias com apenas um livro:um manual de origami. Na minha adolescência e juventude a maioria dos livros que li não eram comprados, eram livros que requisitava na Biblioteca Pública Municipal da Figueira da Foz. O Bookcrossing não é mais do que uma enorme biblioteca a nível mundial onde todo o espaço público pode ser uma prateleira de livros. Podemos libertar ali um livro que já lemos e que não nos importamos de ceder a um desconhecido.Todavia antes convém proceder ao registo do livro na rede. Assim ficamos a saber por onde é que ele anda a viajar! Também podemos encontrar um livro algures se tivermos sorte, como eu tive! E, porque me fui inscrever na rede, descobri que existem Official Crossing Zones, ou seja, locais que recebem livros para posteriormente registarem e lançarem na rede de livre circulação, e onde também podemos apanhar livros de graça. Este livro foi libertado pela EMARP de Portimão que já libertou 1500 livros com a ajuda de clientes e funcionários. A EMARP - Empresa Municipal de Águas e Resíduos de Portimão, tem como objectivos a gestão e exploração dos sistemas públicos de captação e distribuição de água para consumo público, a recolha, tratamento e rejeição de efluentes, a recolha e depósito de resíduos sólidos urbanos e a higiene pública na área do Município de Portimão. Uma coisa que me impressionou muito positivamente em Portimão foi a limpeza da praia da Rocha. Eu gosto de uma praia limpa, gosto de me sentar na areia, e não sujo. Desde logo não levo nada para a praia pois não gosto de comer ali. Nem água levo pois nunca tenho sede. Mas se levasse teria cuidado em colocar a garrafa no caixote do lixo certo. Assim como teria cuidado se tivesse um cachorro e o levasse comigo. Os cães estão proibidos na praia da Rocha. Embora não concorde com a proibição confesso que não vejo alternativa. A última vez que fui à praia na Figueira, há duas semanas e meia atrás, bem no meio da passadeira que dá acesso à marginal, estavam meia dúzia de retorcidos presentes caninos. A proibião também vigora mas não é respeitada.Todos temos de fazer a nossa parte. Mas os responsáveis pela limpeza das areias da Figueira da Foz deviam aprender com Portimão. A equipa de limpeza da praia da Rocha começa a trabalhar às 4.30 e termina às 9.00 horas. E se até podem dizer que Portimão tem mais meios (terá?!) a verdade é que o número de pessoas que frequentam a praia da Rocha diariamente não se compara ao número que a Figueira da Foz recebe. Só mais um detalhe: em todos os caixotes de lixo estão mensagens de alerta sobre o depósito desregrado de lixos no meio ambiente. Denotam cuidado e querer agir. São frases simples, com sentido, que crianças, jovens e adultos lêem e que vão ficando na cabeça. "Amanhã poderá estar deitado no lixo que deitou na areia hoje." Água mole em pedra dura, já sabem como é. Pode parecer um detalhe insignificante mas nem sempre grandes meios publicitários fazem a diferença. Além destas funções a EMARP também desenvolve actividades de divulgação das artes plásticas e sensibilização para a protecção do meio ambiente, além de fomentar a leitura através do Bookcrossing. Quer saber mais sobre como ler um livro de forma gratuita? Veja em - http://www.bookcrossing-portugal.com/, este é o ponto de encontro onde se sabem as últimas notícias dos livros que foram deixados em liberdade, onde também são registados, pois todos os livros de bookcrossing devem ser registados, e onde se podem encontrar etiquetas grátis para download e identificação dos livros. Agora já sabe: se tiver um livrinho a mais que já só esteja a ocupar espaço não hesite em experimentar esta rede pois pode dar uma alegria inesperada a algum leitor!

8/7/10

Beggar's Chicken - A galinha do mendigo!

Ontem liguei ao acaso a televisão e estava a começar o segundo episódio de uma série - Ecoturismo, talvez seja o nome - que aborda conceito de sustentabilidade ao nível do turismo. Ecoturismo é procurar conhecer e explorar as culturas de forma comprometida com o meio ambiente. Como? Respeitando a integridade cultural e a diversidade biológica dos destinos e adoptando uma postura que salvaguarda os recursos naturais. O viajante apresentador é o conhecido futebolista Ethan Zohn. O moçoilo cumpre o roteiro de forma descontraída e bem humorada. São apenas 30 minutos, - desta vez foi sobre Kuala Lumpur - mas é tempo suficiente para aprender umas coisas e até sorrir. Apreciei especialmente um apontamento sobre um prato célebre da gastronomia local. De acordo com uma lenda o prato é originário de Hangzhou, na China. Um mendigo, não dispondo de uma panela para cozinhar, teria embrulhado uma galinha em folhas de lótus e barro, e enterrado o conjunto no chão, deixando um buraco e acendendo o lume por cima. Quando o fogo se apagou e as cinzas arrefeceram ele retirou a galinha cozinhada. Receita prática e muito natural: o barro mantém os sucos da galinha e a sua carne fica macia e tenra e o lótus aromatiza. O nosso futebolista foi a um restaurante - Jugra, Banting - que confecciona esta galinha e assistimos a todo o processo. Convém dizer que o prato tem de ser encomendado de véspera! Não falta clientela. O cozinheiro colocou dentro da galinha uma série de ervas e condimentos, entre eles gengibre, e virou as pernas da galinha para dentro. Depois embrulhou-a bem em papel e até atou com uma cordinha. No final Zohn envolveu o volume em argila e lá foi a galinha para o meio das cinzas quentes do forno de carvão umas quantas horas. No take seguinte Zohn está à mesa e trazem a galinha num típico carrinho das obras! Dão-lhe um martelo e ele parte a carapaça de argila. Está pronta a comer. Para o efeito ele deve apenas usar a mão direita pois essa é, de acordo com a cultura, a única que é pura, a esquerda é para esquecer. Deve retirar os pedaços de carne sem usar qualquer instrumento para cortar. Vejam aqui fotografias do restaurante e da preparação da galinha! Garanto que eu já estava com água na boca! E já não sei se antes da galinha, se depois, mostraram um extenso mangal e suculentas mangas, que o Zohn provou também...!

8/5/10

Ser despedido por causa do Facebook?!!

Acha que pode ir para a internet e escrever tudo o que lhe apetece sem consequências? Nem por isso especialmente se o fizer na wall da rede social Facebook e trabalhar para um empregador sensível. Já não é novidade mas é sempre bom lembrar um caso que aconteceu na Carolina do Norte em Maio passado. Uma empregada de mesa desencantada com a gorjeta que os clientes lhe deixaram resolveu ir desabafar para o Facebook. O casal que tinha atendido demorara três horas a despachar-se à mesa. A mocinha de 22 anos teve de ficar uma hora além do seu horário para apaparicar os clientes e, no fim de tanto empenho, o casal, forreta, apenas lhe deixou uns míseros 5 dólares. Daí serem apelidados de "cheap piece of shit camper(s).” Possivelmente o seu desconsolo justificava-se. Uma empregada de mesa numa pizzaria deve ganhar mal. Se o tal casal não tivesse alapado as três horas naquela mesa talvez ela tivesse conseguido mais uma gorjeta para equilibrar as contas. Nos EUA existe o hábito de dar uma percentagem sobre o valor da refeição. Ashley Johnson trabalhava então para a Brixx Pizza e, sem pensar muito, referiu o nome do restaurante na sua página. Uns dias depois a empresa chamou-a dizendo que ela tinha violado as regras de funcionamento da casa, regras com as quais ela se tinha comprometido quando assinou contrato, colocando o bom nome da Brixx Pizza em causa ao fazer um comentário que depreciava os clientes numa rede social! Os comentários no Facebook e Twitter sobre este episódio eram imensos depois de um jornal ter feito notícia do caso. Na sua maioria a pessoas eram de opinião que a empresa tinha tido uma atitude excessiva ao despedir a funcionária: teria praticado um abuso de poder. Tanto burburinho transformou-se em má publicidade para a marca. Mas, sobretudo, o que este caso veio colocar na mesa foi uma nova equação: como proteger uma marca sem parecer que se está a limitar a liberdade de expressão dos empregados? Pois! É que se estou a milhas do meu local de trabalho e se estou com os meus amigos eu tenho o direito de me expressar à vontade sobre os assuntos que considere pertinentes, o Facebook é a minha nova mesa de café!! Será? O bom senso parece exigir que não seja assim. As empresas querem já incluir na sua política empresarial notas sobre a forma como devem ser referidas nas redes sociais pelos seus funcionários, querem vigiar e tentar controlar o uso que se faz da marca que tanto trabalho deu a construir. Mas os seus funcionários não são sua propriedade! Cercear a sua esfera de liberdade tem de parar à porta da empresa. Mas, pelo sim pelo não é melhor para todos continuar a desabafar à moda antiga, face a face, ou pelo telemóvel, pois as empresas terão sempre acesso ao Facebook, ele é público a não ser que o nosso perfil seja privado, e ninguém está livre de num dia mais louco tecer um comentário impensado e por causa dele descobrir, umas luas depois, que foi parar ao olho da rua. Reparar essa situação pode demorar algum tempo, custar dinheiro e aborrecimentos. Valerá mesmo a pena em nome da liberdade de expressão arriscar? Pense-se também que o profissional que se expõe numa rede social ganha uma visão pública de si como um todo.Como tal, mesmo fora do serviço, ele será associado à empresa onde trabalha. Acresce que muitas redes possuem um campo sobre o cargo/função desempenhado que quase toda a gente preenche. O indivíduo torna-se público e é, ele mesmo, dono de uma identidade complexa que lhe deve inspirar tantos cuidados quanto a marca a uma empresa. A esfera privada diluíu-se e muitos ainda não têm essa consciência.
.
Um estudo feito nos EUA sobre o aumento de incidentes entre empresas/empregados provocados pelo que se envia por email, publica em blogues, nas redes, no Twitter, etc, aqui!

8/4/10

A ORIGEM - INCEPTION ENDING EXTENDED


Só para quem viu A origem - Inception e ficou a matutar no totem, girando, girando, no final, eis uma proposta para acabar com todas as dúvidas e rir!E já agora, acham que o totem ia continuar a girar ou ia cair?

Kieron Williamson: criança de 7 anos vende quadros como gente grande


Kieron Williamson foi uma criança cheia de energia, igual a muitas. Gostava de brincar na lama e de procurar bichinhos no jardim. Na escola foi um bom aluno, deixando os pais orgulhosos. A história podia acabar aqui. Mas ela ainda mal começou. Kieron é, ainda, e será durante muitos mais anos, uma criança. Mas é também um artista plástico de renome, uma criança prodígio, se lhe quiserem chamar assim. Em Maio de 2008, durante umas férias, viu uns barcos num porto. Pediu aos pais um bloco de desenho e pronto, nasceu um artista. Hoje, acrílicos, aguarelas e óleos já não são segredo para este artista de sete anos. Quais lápis de cera, quais recortes! Ele só quer materiais de gente grande! Em Agosto de 2009 a Galeria Picturecraft apresentou as suas pinturas pela primeira vez e foram todas compradas em 14 minutos, morre de inveja Picasso. Kieron divide o tempo entre o futebol, que adora, a consola de jogos e a escola, enfim, ele faz todas as coisas normais que outros meninos da sua idade fazem. Mas levanta-se muito cedo, seis horas antes de ir para a escola, para pintar, e aproveita todo o tempo possível para aprender mais sobre a sua arte com artistas crescidos da região de Norfolk, Inglaterra, onde ele vive. A notícia mais recente dá conta de que os quadros da sua última exposição foram vendidos por 180 mil euros em apenas meia hora! Coleccionadores de arte fizeram fila durante 48 horas na porta da galeria Picturecraft, na cidade de Holt, no último dia de Julho para conseguirem uma obra prima deste miúdo. Alguns vieram dos EUA, especialmente para o leilão.Para conhecerem um pouco mais sobre o fenómeno,o seu site fica aqui!Link para a Galeria aqui!

8/2/10

A 5ª temporada de Dexter!



Jeff Lindsay escreveu Darkly Dreaming Dexter. Já existem quatro livros, que eu saiba. A obra tem como figura central um técnico dos serviços médico-legais especialista em amostras de sangue, que trabalha para o Departamento de Polícia de Miami. Isso durante o dia porque pela calada da noite Dexter é um assassino em série que persegue e mata criminosos que a polícia não consegue prender ou que a justiça deixa de alguma forma escapar. Filho de uma informadora morta em circunstâncias grotescas, a criança Dexter foi adoptada pelo polícia Harry aos quatro anos, na realidade seu pai, que ao perceber a sua tendência homicida o educa num código que tem por finalidade mantê-lo são, vivo e longe da prisão: Dexter apenas deve caçar os assumidamente infractores da lei. Aparentemente um ser normal, Dexter não possui sentimentos, mas apesar disso é um profissional integrado e até conseguiu constituir uma família. Mas toda esta vida é apenas uma camuflagem que esconde a sua verdadeira natureza. Na quarta temporada, Dexter, até aqui tão meticuloso e perfeito na sua arte mortífera, comete o erro de se aproximar demais de um perigoso assassino em série - superiormente interpretado por John Lithgow, ex Dick Solomon da série cómica 3rd Rock from the Sun - em quem vê um rival à sua altura, e perde o controlo da situação. A 5ª temporada poderá muito bem ser a do "enterro" de Dexter a avaliar pela promoção que já circula na internet. Vamos esperar até Setembro para ver!

8/1/10

Do Japão a Portugal, a pé!

Masahito Yoshida tem 29 anos e partiu do Japão a 1 de Janeiro de 2009 e chegou a Poiares em fins de Julho. Dali seguia para Lisboa. Atravessou de ferry-boat até à China e desde então tem feito todo o percurso a pé. Entre Xangai e Portugal percorreu 15.600 quilómetros e passou por 20 países. Transporta consigo meia dúzia de haveres indispensáveis numa típica carroça oriental, uma tenda, um saco-cama, um fogão pequeno, porque cozinha todos os dias, algumas roupas e um computador. Ao peito uma máquina fotográfica. Tenho inveja deste homem. O máximo que percorri a pé foram cerca de 11km, desde o Castelo do Queijo até ao Bolhão, no Porto! Demorei três horas e meia! É pena que a notícia não explore um pouco mais a personalidade e motivação de Yoshida. Fica o espanto e a curiosidade em torno da sua figura aventureira!

7/26/10

Como fazer panquecas!


Eu e o meu sobrinho adoramos panquecas. Da última vez que estive em casa da minha irmã treinei a arte da viragem da panqueca na frigideira. Um desastre. Bom, para o fim da sessão já estava uma expert da panqueca! Aqui deixo a receita para os meus visitantes mais gulosos. Eu gosto de as comer ao natural mas a panqueca aguenta com tudo desde manteiga a doce, chocolate, enfim, a escolha é vossa. Os ingredientes para preparar panquecas são simples:1 chávena de leite, 1 chávena de farinha de trigo, 2 ovos, 2 colheres de sopa de açúcar, 1/2 colher de chá de fermento em pó, manteiga para untar a frigideira antiaderente. Dá jeito ter um batedor eléctrico mas também pode ser tudo misturado numa taça, rodando a colher até misturar tudo muito bem. E não esquecer uma espátula para virar a panqueca matreira, ou duas, a princípio parece ser complicado. E nada de tentar aquele truque de filme americano, atirar a panqueca ao ar com a própria frigideira e colá-la ao tecto, isso não é cena para principiantes!
Preparar é simplesmente bater todos os ingredientes no batedor eléctrico até ficar cremoso e homogéneo.Após esta exigente tarefa há que colocar no lume a frigideira untada, em lume brando, não queremos fazer bife! Assim que ela estiver quente é deitar um pouco de massa e experimentar. A primeira panqueca serve para testar a espessura. Mais massa, mais espessa. É uma questão de gosto, mas uma panqueca quer-se fofinha. Não é segredo que a massa vai cozer primeiro do lado de fora da panqueca, depois no centro. O centro deve ainda estar cru quando se vira a panqueca com a espátula para que coza deste lado. Isso funciona como indicador, é mais que provável que do lado inverso ela esteja perfeita. Em regra uma panqueca fica pronta em 2,5-3 minutos. E esse é o tempo em que eu e o meu sobrinho devoramos a pilha de panquecas que cresceu no prato!!Ah, e quem não tiver farinha de trigo à mão pode usar a que já tem fermento, a receita não vai correr mal por isso.

7/25/10

Casar sem gastar

Com três letrinhas apenas se escreve a palavra "sim"! É das palavras pequenas a que pode alcançar um preço mais redondo. Refiro-me, claro, ao "sim" dito no altar pelos noivos. Em tempos de crise até as noivas fazem contas à vida - já não procuram o vestido mais encantador, provavelmente procuram o mais barato dos encantadores vestidos. Tradicionalmente se havia ocasião em que não se olhava a gastos era no momento de dar o nó. Mas a impiedosa conjunctura deu um nó sério a muitas bolsas obrigando, efectivamente, a repensar os gastos. Romantismos à parte, afinal o sonho tem um preço. Todavia há pessoas verdadeiramente imaginativas que conseguem dar um pontapé na crise e ainda por cima mostrar o seu lado empreendedor. É o caso duma mãe de uma noiva que conseguiu arrecadar seis mil euros em patrocínios e assim pagar o casamento da sua filha Sónia, de 20 anos, com Ricardo, de 21, no dia 24 de Julho. Gabriela Almeida tem 46 anos e estuda marketing. Foi durante as aulas de organização de eventos que se lembrou de obter patrocínios para o que muitas pessoas consideram ser o evento de uma vida. A troco de publicidade durante o casamento ela obteve bens e serviços das empresas, tudo o que precisava, desde fato e vestido para os noivos, alianças, banquete, e até a viagem de lua-de-mel, tudo fruto de muita insistência:o lema de Gabriela é insistir em vez de desistir. A história já deu livro e tudo,intitula-se Casar sem gastar. Vamos agora ver se vai dar moda!

Power body, Power balance, as pulseiras da moda

A semana passada falaram-me na pulseira da moda que já tem página no Facebook e tudo. Isto porque me queixava de uma certa apatia. Sou muito dada a flutuações de humor! Ora, pensei eu para com as minhas bijuterias, cá temos mais uma Tucson. Será que o António Sala vai fazer campanha por esta também?! De tempos a tempos aparece um produto milagroso que depois o próprio tempo acaba por devolver ao esquecimento. Primeiro franzi a testa ao assunto, depois torci o nariz ao preço da brincadeira, 35 euritos. Mais depressa os gastava em boas garrafas de vinho, pensei! Um bom repasto, bem regado, e boa companhia, acredito mais nessa trindade para me tirar da apatia do que na conversa fiada made in USA, falatório que já deu a volta por outros lugares e agora está a dar por cá. Já vimos disso e vamos ver mais, mas enquanto se fala, 20.000 pessoas já andam empulseiradas desde o Natal e a jurar a pés juntos que estão em equilíbrio. Será que é porque o Cristiano Ronaldo usa uma? Sim, mas ele também usa um brinco na orelha, ou um em cada uma delas, já não sei. Se calhar é por causa deles que é tão esperto. Os jogadores da Selecção também usavam a pulseira no seu regresso a Portugal. Não se sabe se já usavam no momento em que golearam a Coreia. Se calhar, sim, e acharam que bastava a pulseira para vencer a Espanha. Só eu é que não invento um negócio destes! Agora que já sei que esta maravilha made in China - era capaz de jurar que é fabricada lá - é feita de silicone 100% cirúrgico e que tem dois hologramas quânticos processados com uma frequência específica, deveria ter mais fé no plástico?! Tretas, ou como dizem os americanos mumbo-jambo, crendices. Basicamente eis o que eu penso: se eu comprar uma dessas pulseiras da amizade vendidas em tendas coloridas na beira da praia e acreditar que ela me dá paz a coisa vai funcionar, é o efeito placebo. A força do pensamento positivo é um facto comprovado. Ora, placebo por 35 euritos, antes um bela garrafa de vinho, etc, etc. O vinho não aumenta a eficiência dos sistemas bio-electricos, físico e orgânico, garantindo de imediato mais equilíbrio, flexibilidade, força e resistência, - até é preciso ter fôlego para ler isto - como diz que faz a pulseira da moda. Pelo contrário, o vinho, apresenta um espectro muito mais alargado de sensações e efeitos que a ciência e o senso comum já provaram e comprovaram. Isto é tudo muito aborrecido. Afinal eu estou aqui a escrever contra uma pulseira criada por um cientista da Nasa e nem sequer a testei!! Ainda não li o nome dele em lado algum, o que eu já li foi que o Prof. Carlos Fiolhais, que também é um cientista, e que por acaso tive o prazer de conhecer, também não vai à bola com a pulseira, e que a Universidade Politécnica de Madrid as estudou e declarou que os seus efeitos são nulos! E agora?! Entretanto lembrei-me de um episódio da série True Blood. Nele uma alcoólica vai ser objecto de exorcismo pois diz ter um demónio dentro dela que a faz beber que nem uma esponja. Quando o desagradável transe termina ela está curada e não volta a beber, transformando-se numa mulher nova. Um dia, porém, a filha descobre que a feiticeira não passava de uma charlatã! Logo, quer o dinheiro, muito, de volta e quer contar à mãe a verdade! A charlatã acaba por vencer dizendo que se a mãe tinha sido curada com a mentira o melhor seria que tudo continuasse assim, já que com a verdade dos médicos a mãe dela não se tinha safado. Eis porque as pulseiras são um sucesso. Mas eu continuo a preferir uma garrafa de bom vinho.

7/18/10

Espinafres dão pedra!

Desde há um tempo que me tornei fã dos espinafres. Tudo começou com uma sopa de espinafres! Mas depois vieram os folhados de espinafre, a quiche de espinafre e outras iguarias que tais. Então resolvi inteirar-me do valor nutritivo do espinafre. Asseguro-vos, isto tem dias que mais vale a gente ser ignorante! Encontrei opiniões tão diversas que agora já não estou certa se vale a pena comê-los ou ignorá-los. Há quem defenda que são tóxicos e que deviam ser banidos da alimentação, e há quem diga que são uma farmácia! O problema parece residir nos elevados níveis de oxalatos presentes nesta hortaliça. Se pensam que podem vir a ter pedras no rim ou na bexiga, ou se já têm, então é melhor não seguirem o exemplo do Poppey, o Marujo. Nada de espinafres, as pedrinhas formam-se a partir dos oxalatos. O ácido oxálico reage com o cálcio, magnésio, ferro, minerais, que estão nos outros alimentos, e forma oxalatos de cálcio, magnésio, ferro. Estes deixam de estar disponíveis para serem absorvidos pelo organismo! Além disso, os oxalatos são sais insolúveis e daí originarem as tais pedras. Para atenuar o inconveniente do ácido oxálico há solução. Para quem não puder passar sem espinafres o melhor é acompanhar a refeição com uma limonada, um suco rico em vitamina C. O Poppey não devia saber isto! Agora até estou com receio de me informar sobre o teor nutritivo do agrião!

7/17/10

O cheque bebé, o cheque peixe e o cheque vaca

Quando comecei a ouvir falar do cheque-bebé pensei que era mais uma anedota. Sabem o que é um cheque peixe? É um cheque que chega ao banco e...nada! Sabem o que é um cheque vaca? É um cheque que chega ao banco e o gestor de conta faz hummmmmmmmmmm. Bem, eu pensava que era mais uma anedota e é, é mais uma anedota do Zé Sócrates que prometeu um dinheirito ao Zé Povo para fraldas e pó de talco... e faltou. Sabem o que é um cheque bebé? Vejam se cresce e aparece! Diz que é a crise. A promessa vinha em números claros: 200 euros para uma conta poupança de cada bebé gerado a partir de não sei exactamente quando,talvez quando ele entendesse, a data até ao momento ainda não foi marcada. Não sei se alguém se meteu a fazer filhos incentivado pela generosa medida de apoio à natalidade.(Talvez o Cristiano Ronaldo?!)Se assim aconteceu, olha, correu mal. Gerados os bebés, andam pais e mães aos papéis, ou melhor à cata do tal cheque. Eis o estado da política actual: pode prometer-se tudo e faltar e depois dizer que é a crise e que afinal, oops!, já não há dinheiro. O primeiro ministro deve ter pensado que os bebés demoram ainda um tempo até aprender a falar e que por isso não haveria lugar a mais manifestações de descontentamento, era um golpe seguro. Mas as pessoas crescidas lembraram-se de acordar o cheque adormecido e agora não há beijo que as cale. A população portuguesa está velha pra caraças e ainda vai ficar mais velha com políticas destas. Já não há rosto que aguente sem rugas nem cabelos que não virem brancos nem sorriso que se rasgue. Não, não é mais uma anedota. É a imagem de marca da política nacional.

Origem - Cinema é sonho


Ultimamente não faço mais do que ver cinema de animação, tem sido uma barrigada. Coisa de criança, dirão. Só que por vezes é mais fácil encontrar originalidade e frescura no cinema de animação do que no género de carne e osso. Ultimamente até que a fronteira entre os dois se tem diluído:os actores parecem desenho animado, os desenhos animados parecem reais! Ando à espera de um filme que me encha as medidas, algo que seja visualmente delirante e esmagador mas que não embruteça os meus princípios de animal cinéfilo pensante. Pois é, Avatar não funcionou. Não há mal nenhum em gostar de fantasia, filmes que testam os limites da imaginação. Até é pena que Inception esteja a ser publicitado como o blockbuster do Verão, há sempre aquela ideia de que esse tipo de filme é uma nulidade. Ora aí está uma ideia que é um parasita. Eu apenas gosto de histórias bem contadas, sejam elas quais forem. Por isso, quem sabe Inception é o filme que estou à espera...desde Matrix? Eu acho que é isso. O poster de Matriz ainda anda por aí algures enrolado a um canto. Já lá vão talvez 10 anos mas penso que ainda nos lembramos da surpresa que foi assistir a esse filme e da onda de entusiasmo que gerou. Eu ainda não acredito que o sucesso actual de uma fita tenha de passar pelo 3D gritado aos quatro ventos pela publicidade! Tenho alguma expectativa nesse filme pois foi realizado pelo Christopher Nolan que dirigiu o fantástico The dark knight. Os elogios a este realizador não cessam de crescer e leio até comparações com o meu adorado Kubrick, o que me parece um pouco exagerado. A tagline do filme é The dream is real e parece que Nolan sonhou mesmo alto. Não é tanto por ter bons actores e sim, eu acho que Di Caprio é um bom actor, já lá vai o tempo em que era apenas um miúdo giro, quem ainda não deu por isso é porque descartou os últimos filmes que fez. Mas tudo conjugado, director, actores e muitos dólares, música de Hans Zimmer, um dos melhores a compôr para bandas sonoras nos dias correntes, se a história for tão boa quanto se anda por aí a dizer, talvez seja desta que o sonho se torna realidade.

7/15/10

O potencial mediático de João Garcia aumentou

De acordo com a NewsSearch, uma empresa que monitoriza e analisa a informação editada pelos Media, e desenvolve ferramentas que suportam toda a gestão da informação, o alpinista João Garcia aumentou o seu potencial mediático, cuida-te Ronaldo, um destes dias ainda vais ter de subir o Evereste a fazer brincadeirinhas com a bola, se quiseres uns trocos. E mais: terás de fazê-lo em tronco nu se quiseres mesmo marcar a diferença, pois sem oxigénio e sem sherpas de altitude o João já fez. Não sei quantos portugueses gostam do João Garcia tanto quanto eu. Já escrevi sobre ele aqui no blogue. Fiquei então a saber pelo SOL que ele é o homem mais valioso a quem já apertei a mão. Os homens não se medem aos palmos, mas os desportistas e outras personalidades da vida pública medem-se pelo Advertising Value Equivalent(AVE). O do João Garcia passou de 620 319 euros, valor do ano passado, para 6.224,520 milhões ao longo deste primeiro semestre de 2010. A exposição mediática do primeiro português a conquistar os 14 cumes mais altos do mundo aumentou. (Ofereço um chupa a quem disser já, aqui e agora, os nomes dos montes. ACABOU O TEMPO!! Vejam no fim deste texto a resposta.) Como é que há pessoas que ganham dinheiro a fazer estas contas de somar e, mais, como é que há quem pague para saber estes números: “Durante o primeiro semestre de 2010 contam-se 285 presenças em imprensa escrita e on-line.” O valor da imagem de João Garcia consiste na quantidade de mancha no espaço editorial ocupado. Como se determina o valor? Tendo por base de quantificação o custo do milímetro quadrado em cada publicação e um segundo de televisão ou rádio. Se João Garcia quis dinheiro para alimentar o seu sonho teve de se transformar em veículo publicitário. Eu penso que ele preferia não ter tanta exposição e que a considera um mal necessário. Como nunca gostei de números desliguei dos cálculos e dei uma vista de olhos pelos comentários, essa popular secção de descargas públicas que a internet popularizou e onde toda a gente opina, questiona, incendeia, escavaca, alucina, vocifera, imagina, enfim, é um espaço fértil em sentenças as mais das vezes sem préstimo. Um pouco como o que escrevo por aqui. E eis que um comentador se interroga sem contenção e responde, para nos poupar trabalho:” É caso para perguntar o que é que isso contribui para o bem de portugal (com “ p” minúsculo mesmo) e que benefícios lhe traz. Subir montanhas fomenta emprego? ...Não! Cria valor acrescentado?...Não! Promove o turismo?...Não! A restauração?...Não! A Indústria agrícula?...Não! O desenvolvimento urbanístico?...Não! A indústria farmacêutica?...Não! O cinema?...Não Os bovinos e caprinos?...Não! Coelhinhos e patinhos?...Não!O queijo da serra?...Não! Olivais e carrapais?...Não! Move a roda do moínho?...Não! E a que amola o machadinho?...Não! Põe o Ronaldo a jogar?...Não! Então que raio anda ele lá a fazer?" Pois é, que raio é que anda o João Garcia a fazer?! Algo que até hoje apenas 19 alpinistas fizeram, ou seja, alcançarem os cumes das 14 maiores montanhas existentes no mundo com uma altitude superior a 8000 m. Desses, 10 alpinistas escalaram todas as montanhas sem recurso a oxigénio artificial, entre os quais João Garcia. Menos de 100 pessoas escalaram o Evereste sem recurso a oxigénio artificial, uma das quais também João Garcia. É preciso ser mesmo muito bom para andar por lá a escalar, ora imaginem lá isso, a arriscar a vida para conquistar a Natureza. Olha lá, um português que é bom a nisso! Viram? Deram por ela? Ou é preciso abrir-vos as retinas com um machadinho? Enquanto lia o comentário, eu ia contra-comentando: mesmo que nada disto fizesse diferença, subir montanhas fomenta emprego para o próprio João Garcia: é a sua empresa, a empresa da sua vida. Mas o que estaria ele a fazer se não fosse isso? Seria um talento perdido. E, olhem, ele até dá trabalho desde logo à NewsSearch. E cria valor acrescentado, sim senhor: então se se viu o valor do João a aumentar enormemente?! Mas este comentarista não leu a notícia?! E promove o turismo! Sempre que neva eu vejo na TV uma romaria de gente que se faz à estrada só para ir à Serra da Estrela imitar o João. É uma fraca imitação, mas, lá está, ninguém é o João Garcia. E depois ficam presos na neve e queixam-se que em Portugal não há meios, etc,etc. Este fenómeno aumenta todos os anos. Quanto à restauração, não sei, mas é provável que alguém dê o nome do alpinista a um restaurante ou uma cadeia deles. Em Portugal não, claro, os portugueses sabem lá o que é alpinismo. Cinema! É claro que alguém vai fazer um dia um filme sobre João Garcia. Certamente um realizador estrangeiro, um pouco como o que sucedeu com Blindness, o livro do Saramago?! Quando cheguei a este ponto do comentário, ui, perdi o fôlego e já de bom grado pedia emprestada uma tenda hiperbárica. Realmente se não mete bola nenhum valor ou benefício João Garcia poderá trazer a Portugal, país que só pára para ver a bola passear pelos relvados e mais nada. Só que enquanto a bola rebola o mundo não pára, em particular o mundo de pessoas que têm um sonho e que não abdicam dele. Há quem se identifique e atribua valor, há quem ignore. É a vida. Só para quem souber os nomes dos jogadores da Selecção Nacional mas não os nomes dos 14 picos mais elevados do planeta, a lista: Annapurna, Cho Oyu, Dhaulagiri, Evereste, Gasherbrum, Lhotse, Kangchenjunga, Sisha Pangma, K2, Makalu, Broad Peak, Maslu e Nanga Parbat.

7/14/10

TRUE BLOOD - Season 3 - Publicidade





Estreou em Junho, nos EUA, a terceira temporada de True Blood. Eu já dei uma espreitadela.

Dia 27 de Outubro, Porto, concerto dos Tindersticks!

Os Tindersticks vão regressar a Portugal para dois concertos! A banda vem apresentar o último álbum Falling Down a Moutain. O Coliseu do Porto recebe-os a 27 de Outubro e no dia seguinte estão em Lisboa, no palco do seu Coliseu. Os bilhetes para o Coliseu do Porto e Lisboa variam entre €20 e €40, plateia sentada, e vão estar à venda a partir de amanhã, 15 de Julho às 10h00, nos locais habituais. Eu vou, eu vou!


Adeus, Harvey Pekar

Faleceu no início da semana, com 70 anos, em Cleveland, o norte-americano Harvey Pekar, conhecido pela série de banda desenhada autobiográfica American splendor. Se não sabem quem foi talvez se lembrem de Paul Giamatti, que brilhou em American Splendor, o filme, no papel autobigráfico do autor de BD mais desencantado da América. O esplendor da vida de todos os dias de Pekar tornou-se um fenómeno de culto underground e depois de toda a gente. Arquivista num hospital de veteranos, vivia no meio da desarrumação, de livros e de discos jazz. Criatura ansiosa e deprimida, viveu sempre uma vida normal, trabalhou e escreveu ao mesmo tempo, pois o seu sucesso não foi financeiramente compensador. Ilustradores de renome traduziram em traços as palavras de Pekar: Robert Crumb, Spain Rodriguez, Frank Stack e Joe Sacco. Pekar também participou no talk-show de David Letterman, chegando a ser banido por ter criticado um financiador da estação televisiva. Em Novembro de 2009 Pekar lançou uma série de quadradinos online. The Pekar Project era actualizado cada duas semanas. Videos do filme e de Pekar com Letterman, abaixo.





7/12/10

A mulher invisível, no cinema e na realidade


Há uns anos atrás, em Setembro, no Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz, eu costumava ver cinema brasileiro. Ao contrário da maioria das pessoas em Portugal eu nunca caí de amores por novelas, nem brasileiras, nem mexicanas nem portuguesas. Eu pertencia à minoria que via cinema brasileiro que, provavelmente, nem os próprios brasileiros viam! Vi algumas novelas, as primeiras que apareceram na TV, e depois da novidade não mais ser novidade, deixei de ser cliente. Não vale a pena argumentarem pois nem com a melhor delas me convencem:por mais bem interpretadas e produzidas que sejam, é o próprio modelo de novela, com as suas histórias cruzadas, peripécias infinitas e rodeios, tudo servido a conta-gotas, que não serve para mim. Não sei se será impaciência em conhecer o resultado, mas para mim uma boa história tem de ser contada em duas penadas, ou seja, num máximo de duas, três horas, se for em filme, numa dezena e meia de episódios, mais ou menos, se for série, e são raras as que me conseguem manter fiel, temporada após temporada. Nada como um bom filme, não há melhor experiência no audio-visual. Bom, a navegar pelo Youtube, um dos meus ladrões de tempo favoritos, encontrei o trailer do filme A mulher invisível, onde aqui de diz mal, e aqui se diz bem, isto em matéria de críticas, aprendi há muito que melhor do que ler é ir ver o filme e fazer eu mesma a minha crítica. É um filme da autoria de Cláudio Torres - filho da actriz Fernanda Montenegro - que realizou uma obra de crítica social que eu vi há um tempo, de nome Redentor, uma fita que toca nos temas da corrupção, pobreza, tráfico de influências, dinheiro, e de que gostei. O contrate entre os dois filmes é enorme, este é uma comédia romântica, mas confesso que ri a ver o trailler. No mesmo dia li esta notícia sobre o número de mulheres que são assassinadas no Brasil:"Em dez anos, dez mulheres foram assassinadas por dia no Brasil. Entre 1997 e 2007, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio — índice de 4,2 assassinadas por 100 mil habitantes. Algumas cidades brasileiras, como Alto Alegre, em Roraima, e Silva Jardim, no Rio de Janeiro, registram índices de homicídio de mulheres perto dos mais altos do mundo." A razão encontrada para a mortandade é também avançada: "Os assassinos são atuais ou antigos maridos e namorados inconformados em perder o domínio sobre uma relação que acreditam ter o direito de controlar". Quem sabe não encontra Cláudio Torres neste relatório uma matéria para nova fita, ele que em Redentor mostrou ter sensibilidade para a análise social, talvez um dia dirija uma "longa" sobre estas mulheres que os antigos maridos e namorados quiseram tornar invisíveis, ao contrário da personagem deste filme, que inventou uma para ultrapassar a desilusão amorosa.


E em Portugal? Por coincidência reparo que está em destaque, no Sapo, o assunto da violência doméstica: em 2009, 29 mulheres foram assassinadas por homens de quem eram íntimas. Mas 28 sofreram uma tentativa de homicídio. Há uma redução de 17 vítimas em relação a 2008, quando se registaram 46 casos de mortes. Os dados foram divulgados hoje, no Porto, pelo Observatório de Mulheres Assassinadas (OMA) que monitoriza os crimes mortais de violência doméstica desde 2004 através da análise comparada de notícias da imprensa, relatórios de segurança interna e processos judiciais.
A tendência está confirmada: 62% dos homicidas mantinha uma relação de intimidade com as vítimas, sendo companheiro, marido ou namorado. No caso das tentativas de homicídio a tendência também se verifica (58%). Os restantes agressores eram homens de quem as vítimas já se tinham separado, 38% no caso dos homicídios e 21% nas tentativas. Lisboa e Porto são os distritos onde se registam o maior número de assassinatos de mulheres desde 2004.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...