11/13/07

ESTE BLOG VAI ENTRAR EM HIBERNAÇÃO

Verdade, amigos, antes da Primavera não é provável que volte a actualizar o blog. Agradeço as palavras de todas as pessoas que aqui comentaram e com quem ao longo destes meses estreitei laços virtuais. Como dizia o Exterminador, I'll be back! Até lá fiquem-se com esta pequena história que ouvi um destes dias contar no comboio. Era mais ou menos assim:

Certas pessoas lastimam-se a vida toda por mais que tenham .Queixam-se de tudo e todos, de Deus também, ou do Diabo, um não os favorece, o outro desfavorece-os. O meu vizinho do lado diz-me muitas vezes: - Já viste pá, porque dará Deus tudo ao vizinho da frente, um carro de sonho, uma mulher bonita,dinheiro para tudo?Ele tem tudo, eu não tenho nada.Como é que posso viver feliz assim?Eu virei-me para ele, cansado de aturar a mesma ladainha, todos os dias: - Mas, amigo, será que não tens mesmo nada?Eu sou velho,sofro de tanta doença, tu és tão jovem e saudável!E ele respondeu-me: -Vizinho, é verdade que sou são que nem um pero e que estou na flor da idade!Mas isso é pouco. Então peguei-lhe na mão direita e disse-lhe: -Quanto queres por esta mão? O meu vizinho não percebeu a pergunta e eu repeti:-Sim, diz-me quanto dinheiro queres por ela, eu corto-ta e dou-te o dinheiro... Quanto?Mil euros?O meu vizinho, muito chocado, retorquiu: -Mas tu deves é ser louco!Nem por cem mil euros eu te deixava cortar a minha mão direita!Certo,- respondi eu.-Então e que tal a esquerda?De novo o meu vizinho me olhou com pasmoe horror : -Nem a esquerda, mesmo que me oferecesses todo o dinheiro que tens no banco!Ora- comentei eu- então parece-me que Deus te deu muita riqueza. Pensa bem nisso da próxima vez que te queixares da vida...

11/9/07

COISAS DO MEU OUTONO(antes deste blog hibernar)

As fantásticas cores das folhas no Outono!
Por muito que goste das cores do Verão nada se compara a este
espectáculo cromático!

Frutinhos secos e em especial as nozes fazem
as minhas delícias nesta altura do ano!


Esta é a montra de uma loja de tecidos na Rua da República. Esta casa comercial faz das melhores montras da Figueira da Foz. Nem sempre passo por lá mas quando passo olho obrigatoriamente. Quer se tratem de montras tradicionais, temáticas,(no caso, Festa de S. Martinho) quer de montras de simples exposição de tecidos, seja quem for o vitrinista, merece um aplauso.

11/8/07

SE GOSTAS DE SHAR PEI, VOTA NO BLOG DO DAVIS!

Um filhote de Shar Pei!

Um Shar Pei de peluche!


O blog do Davis é um presente que ofereci ao meu sobrinho de cinco anos.Contém anúncios de publicidades dedicadas à raça canina, obras de artes plásticas e literatura sobre cães, videos e canções, e, claro, fotografias do nosso shar pei, o Davis. Vai visitar e se gostares, clica e vota!Já vamos atrasados, mas...Obrigada!
A VOTAÇÃO TERMINA A 30 DE NOVEMBRO!
Atenção:insere o Url correcto no local adequado:

O TURBOGALO!

Gente fixe!

11/7/07

Frase

"Você não pode parar o vento,
mas pode mudar a direção da vela "
enviou a Helena (Brasil)

11/5/07

LEITE DO DIA



Este é o padrão da camisola de mangas compridas que não consegui usar hoje! Custa a crer que estamos em Novembro com temperaturas de 30 graus!Já comi castanhas!Castanhas vão com tempo frio, não com isto! Vistos por mim no termómetro: 7 graus bem cedinho quando saí da Figueira da Foz, 27 graus aí por volta das 15.00 horas em Coimbra. Quem é que consegue resistir a esta amplitude térmica?!!!Os casacos quentes misturam-se com mangas cavas e T-shirts ligeiras. O som do CD Cintura dos Clã acompanhou-me na minha viagem de comboio até Coimbra.Um bem (des)esperado CD- bem lá longe saíu Rosa Carne, não contando com o registo Ao vivo- para todos os fãs, eu incluida, de um grande grupo, que canta em português e que é um estouro-ler com pronúncia do Porto- em palco.




Conhecem esta senhora?Se forem da Figueira da Foz, penso que sim. Eu já a tinha visto no Verão a palmilhar a praia com um terço na mão e uma qualquer imagem nas mãos. Hoje estava no comboio a apelar à oração. Para quem que, como eu, por vezes nem fé em si mesma tem, é no mínimo estranho. Pelo que ouvi dizer às outras pessoas ela já é presença habitual, parece que a senhora tem um problema do foro psicológico, não se trata de uma "missionária" propriamente dita a espalhar a palavra junto da malta pecadora. Pois eu quanto a isso nada sei mas ela lá anda plenamente convicta de que o mundo vai acabar e que temos de fazer algo, ou seja, orar com todas as forças. Isso eu também acho, o mundo vai acabar e com um grande estrondo.Quanto ao poder da oração, não me posso pronunciar, mas mal não faz, excepto se se for emB(r)USHado ou arraçado de homem-bomba muçulmano.Quando ela disse aos jovens que comprassem uma medalhinha de Nossa Senhora ou uma cruz e a dessem ao pároco para benzer antes de colocar ao pescoço para lhes dar protecção contra o demónio eu pensei que ela fosse vendedora...a sério, estava de costas, não via o que se estava a passar!(Não tem nada a ver:sabiam que o filme Elizabeth que eu vi no passado Domingo já foi considerado propaganda anti-católica porque havia um crucifixo a afundar-se no mar?!)
O PC onde irei passar largas horas ao longo dos próximos meses. Pela primeira vez tenho um professor que é formado em Design de comunicação, que trabalha em Design de comunicação e que gosta do que faz. Há que aproveitar a oportunidade e tentar aprender o mais possível. Estou contentíssima!
Hoje também comecei finalmente a aprender espanhol. Desde a minha estadia em Segovia que tinha colocado essa empreitada na agenda mas o tempo foi passando e os livros comprados, os dicionários, foram-se empilhando. Daqui não passa mais!Habla comigo!!! Uma das lojas onde sempre adorei ir porque está cheia de papéis coloridos e materiais para pintura e actividades plásticas.Podemos andar pelo espaço à vontade, sem um funcionário polícia atrás de nós, e de vez em quando alguém pergunta sobriamente se pode ajudar. Nem sempre foi assim: antigamente a loja, no mesmo local, tinha um balcão e funcionários que nos atendiam.Eu já era cliente, então.


Sticker em Coimbra! Eu curto estas cenas, pá, o que é que hei-de fazer?



À chegada a casa um envelope gordo na minha caixa de correio em vez dos lingrinhas que trazem as contas para pagar! Lá dentro coisas giríssimas que não vou mostrar e que voaram desde os USA até cá neste grande envelope. São gestos como este que tornam a nossa existância mais colorida, se vos mostrasse o conteúdo o que escrevi teria ainda mais sentido.Uma pessoa que mal me conhece, bem ditas as coisas, que não me conhece mesmo, mas que foi às compras para si e que viu umas coisinhas que achou que me podiam inspirar e dar ânimo criativo. A internet aproxima os estranhos, ontem eram os correios comuns. Pergunto-me o que é que nos afasta de quem nos está próximo,hoje.

Por fim um convite para ir ao restaurante chinês e por isso não me posso demorar. Para quem só me conhece da foto minúscula ali no topo e que estranhe o meu VOKI de cabelos escuros no PAPELUSTRO, eis-me aqui nesta plimgrafia, há meia dúzia de anos, a fazer acrobacias com uma ervilha no restaurante chinês. Um dia mudei para loura.Quando voltei a ficar morena nunca mais tirei fotografias. Não sei se é das loiras que eles gostam mais, mas eu sei que curtia à brava ser loira. A sério. Um destes dias tenho de voltar a ser loira, que se danem as tendências da moda que dizem que os tons castanhos é que é!Mas há duas pessoas, pelo menos que eu me lembre, que me deviam ter pedido opinião antes de mudar o visual: Avril Lavigne e Nelly Furtado.Será que elas não têm um espelhito lá em casa?!!Terá sido uma aposta?!!Nada como uns ditos frívolos para encerrar o leite do dia!





11/4/07

UMA PESSOA VAI AO CINEMA...



Uma pessoa vai ao cinema, compra o bilhete, senta-se na cadeirita e enquanto espera o filme interroga-se porque deixou de ir ao cinema.Lembra-se do tempo em que ver três filmes por semana NO CINEMA era uma façanha vulgar.Lembra-se do tempo em que uma semana de sessões de cinema de manhã à noite se esperava todo o ano, se marcavam férias para essa altura para não perder o Festival.Lembra-se dessa paciência infinita para descobrir autores desconhecidos, para destrinçar linguagens menos lineares, olhares menos comuns. E de repente nada. Um grande vazio de imagens foi-se instalando, as referências cinematográficas que se citam são antigas, os filmes recentes mais queridos têm anos. As revistas estão cheias de actores e actrizes cujos nomes já não se domina de A a Z. Agora ir ao cinema é quase como ir a um casamento, sendo eu uma pessoa de poucos amigos e amigos pouco casadoiros, é quase um ou dois por ano. É uma triste constatação para uma ex-cineclubista. 

Foi o quê que me afastou dessa militância cinéfila? Dantes nem sequer morava perto de uma sala de cinema e ia, e ia a pé, com sol ou chuva,ia.Ia até a uma cidade diferente se fosse o caso! Agora moro perto de meia dúzia de salas e quase nunca vou ao cinema. Porque terei traído o meu amor pela sétima arte? Com quem? Com os livros? Com a Internet? Não, acho que foi com a vida de todos os dias.Vida que antes eu mesma já traíra com a minha indiferença. Mas indiferença fruto de quê exactamente? Do cansaço, do desinteresse, do enfado, do rush-rush diário?!!Não há uma razão clara para os meus passos não encontrarem o caminho para as salas de cinema porque sempre que o faço desejo voltar logo no dia seguinte e ver um ou dois filmes seguidos!Mas dois filmes que sejam estimulantes, não duas fitórias quaisquer. Se agora até me posso queixar de um bilhete ser um luxo há três anos atrás não escreveria da mesma forma e já se contavam pelos dedos das mãos os filmes que via por ano NO CINEMA.Por isso não vou usar o argumento mata-tudo: o preço.

Ora quando uma pessoa vai a um casamento espera que tudo seja perfeito mesmo que pense que existem grandes probabilidades do enlace não durar mais do que uma saison!E quando se vai ao cinema é a mesma coisa: espera-se que seja uma boa experiência mesmo que no final a conclusão seja que o filme era do pior e não dure dele recordação na nossa memória além portas da sala. E então o que sucede?Uma pessoa chega à bilheteira e logo aí podem começar as contrariedades se, no meu caso,não houver um lugar na última fila. É que estas salas são uns caixotes pequenos! A tela está em cima de nós! Eu sinto-me à janela do filme e não a ver o filme! E porque se tratava do Elizabeth, ou a minha cabeça ainda rolava pelo chão, qual Mary Stuart, se o executor se distraísse e desse um pouco mais de balanço à lâmina, ou ainda me estoiravam os canhões do Drake em cima!Tive sorte e lá me deram um lugar bem encostado à parede do fundo e um extra:um jornal, que fixe!E o moço da bilheteira era simpático o que hoje é de louvar: a excelência do atendimento anda muito estranhamente confundida com alheamento ao cliente.Pelo menos nas lojas de roupa é assim e quanto mais cara a roupa melhor a antipatia! (As meninas lembram-me sempre daquelas mulheres que tocavam guitarra no video do Robert Palmer, estão a ver?!!) 

Coisas à borliú a gente gosta sempre. Bom, nem sempre. No cinema também temos companhia à borliú.(Ou será que o preço do bilhete inclui a companhia?)A companhia no cinema é importante. Não sei se já foram ver um mesmo filme cómico ao cinema duas vezes.Dois públicos diferentes podem transformar a experiência de forma radical. A reacção do público, positiva, favorece o filme e a nossa experiência do momento. Ora, o contrário também sucede. Mesmo que o filme seja uma reconstituição histórica, um drama,um policial ou cinema de aventuras.

No meu caso, hoje, começou tudo logo mal, mas eu assumo que sou peculiar: tenho um sentido de humor um pouco fora da norma e não parava de rir com os trailers de filmes infantis que vão estrear. Do meu lado esquerdo e do meu lado direito a minha companhia bocejava.Sentia-me uma anormaleca entalada entre os dois homes, eu a conter risinhos miúdos, eles nem ai nem ui, os dois muito adultos e reservados. Mas o pior estava para vir. Até ao intervalo o meu vizinho à esquerda empanturrou-se de pipocas que esgravatava fru-fru-fru na caixinha de papel e sorveu líquidos ruidosamente para ajudar a engolir o milho florido; o meu vizinho da direita bichanava todas as legendas em voz baixa, tipo oração, e ainda acrescentava alguns comentários de sua lavra ao desenrolar da acção.A sério, ele LEU TUDO, MAS TUDO MESMO com os lábios.No intervalo também se foi abastecer de líquidos- pudera, devia ter a boca seca!- e de pipocas.Não sei se continuou a oração depois disso mas como é feio falar com a boca cheia talvez tenha parado.Eu mudei-me para o lugar no extremo da fila e pensei que agora é que era, ia ter direito à exeriência cinematográfica perfeita, dentro do possível.Puro engano: dali ouvia o som do filme que passava na outra sala gémea e enquanto me tentava alhear disso passou-me vagamente pela ideia a antiga sala do Casino, com as suas cadeiras macias e verdes da cor do vestido da Elizabeth. Uma pessoa vai ao cinema, compra o bilhete, senta-se na cadeirita e enquanto vê o filme interroga-se porque deixou de ir ao cinema.

11/3/07

ROMÃS!

613 sementinhas vermelhas como rubis!Se alguém souber de receitas
com romãs, diga. Estas vão ser comidas com açucar e vinho do Porto...

11/1/07

LO PERRITO VIVE?



O link para o Blog A barriga de um arquitecto contém mais e melhor informação sobre este caso, sendo igualmente interessante o ponto de vista do autor sobre o mesmo: A arte pode matar.Por isso o incluo aqui.

O conteúdo abaixo  reproduz na íntegra o que encontrei aqui.



Habacuc en Galería Códice, agosto 16 2007.
Fotos cortesía de Dalia Chevez, excepto en Exposición #5, de Ernesto Salmerón.
5 obras
1// -----------.En la pared del fondo, la que se mira desde el pórtico de la entrada, había un texto en el que se leía la frase "Eres lo que lees" -Lo que forma las letras es comida de perro-
2//-----------.Un perro enfermo, callejero. -Murió en la galeríano se le dio alimento-Según supe el perro murió al día siguiente por falta de comida. Durante la inauguración supe que el perro fue perseguido por la tarde entre las casas de aluminio y cartón de un barrio de Managua con nombre de santo que Habacuc que no pudo precisar en el momento. 5 niños de los que ayudaron en la captura recibieron bonos de 10 córdobas por su colaboración. Durante la exhibición algunas personas pidieron la libertad del perrito, a lo que él artista se rehuso. El nombre del perro era (fue) Natividad, y se le dejo morir de hambre a la vista de todos, como si la muerte de un pobre perro fuera un show mediático desvergonzado en el que nadie hace nada más que aplaudir o mirar desconcertado. Definitivamente somos lo que leimos: puras croquetas.En el lugar que el perro estuvo expuesto solo queda un cable de metal y una cuerda. El perro estaba sumamente enfermo, renqueaba y no quería comer de todos modos, así que en un entorno natural hubiera muerto de todos modos; pero así son todos los pobres perros: tarde o temprano se mueren o los mueren.
3//----------.Un incensario-El día de la inauguración se quemaron en él 175 piedras de crack y una onza de marihuana-También se dice que en esa olla quemaron plástico y otros productos químicos.
4//----------.Durante toda la exposición sonó el himno sandinista, al revés.La exposición no contaba con fichitas ni letreros museográficos que indicasen que ES cada obra. Mientras la música sonaba poco a poco la gente reconocía el ritmo y preguntaban si ese acaso era el himno del Frente... el cual precisamente era, pero tocado de principio a fin en reversa.
5//-----------.Documentación de la Alfombra Roja obra presentada en la 5 Bienal Centroamericana. Inaugurada por el presidente de El Salvador Elias Antonio Saca. Esta obra estuvo presente como documento fotográfico. Si dice que la disposición original de la obra fue manipulada por temor a que los tomates fueran usados contra el presidente Tony. Cada quién es dueño de su propio miedo.

E depois encontrei mais isto: (Legenda da imagem acima)


I AM NOT ART
I AM A DOG.LOOK AT ME I AM DYING
THROUGH IGNORANT EYES YOU ARE PRYING.
LOOK AT YOUR PAMPHLET
THE EXHIBIT IS THERE, BUT I AM REALITY MY SOUL IS LAID BARE,
SIP AT YOUR DRINK AND LOOK INTO MY EYES
HERE I AM…THE PRODUCT OF ARTIST LIES.
HE IS STARVING ME FOR YOU TO SEE
HERE TIED TO A WALL WITH ROPE.
CAN I COUNT ON YOU TO GIVE ME HOPE?...
WILL YOU GIVE ME WATER OR TOUCH MY HEAD,
WOULD YOU GIVE ME A BLANKET OR A BED?...
I AM A DOG I AM DYING.
I AM NOT ART—WHO IS LYING?...
SO I DIE FOR YOU I STARVE IN YOUR VIEW
MY ABUSER HAS ACHIEVED HIS AIM,
HE THINKS HE’S MADE HIMSELF A NAME…
BUT I AM NOT ART
I AM A DYING DOG!

(Hazel Oct 15/07)
Desculpem o palavreado escatológico, mas as únicas palavras que me ocorrem são: alguém me explica devagar e com muito jeitinho que merda é esta?!Um cão faminto coisificado numa galeria de arte para provar o quê exactamente?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Existem alturas em que eu tenho mesmo vergonha de ser humana. E de ainda por cima ser uma consumidora de arte! Somos uma vergonha, é o que somos, e na realidade merecemos o aquecimento global e todas as merdas que nos fazem sofrer porque depois de anos e anos de evolução, depois de nos termos erguido do chão e de nos sofisticarmos até ao nojo, continuamos a ser os animais mais estúpidos que são gerados no planeta. Isto aconteceu mesmo? Custa a acreditar!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...